Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Recordando o Poeta Januário Leite

Brito-Semedo, 10 Jun 11

 

januário leite.jpeg

Foto Arquivo Histórico Nacional (IAHN), Praia

 

 

Poeta Januário Leite

 

(Santo Antão, 10 de Junho de 1865 – 10 de Junho de 1930)

 

 

É a encarnação da alma poética caboverdiana, em toda a sua manifestação sentimental.

 

Januário Leite é um lírico na verdadeira acepção da palavra.

 

Os seus versos, escritos quasi sempre nas horas sombrias dos íntimos desgostos que amarguraram eternamente a sua alma atassalhada pela Dor, têm uma expontaneidade admirável e uma naturalidade apreciavel.

 

A gente ao lê-lo chora e sente como ele.

 

Cultiva, de preferência o soneto – o vaso precioso que tem recolhido todas as lágrimas choradas pelos corações alanciados pelas grandes amarguras do Destino.


Os versos que se vão ler, dedicados à memória de sua mãi, falecida há tempos, encerram incontestavelmente um primor de sentimentalismo.

 

januário leite.jpeg

SAUDADE 

 

(À memória de minha estremecida mãe)


Alma mais simples do que a flor singela,

E coração de rola a mais sentida,
A minha santa mãe inesquecida
Era o ideal das mãis: tal era ela.

Não mais verei a luz da minha estrela
No céu caliginoso desta vida!
Que resta a [à] alma, pela dor vencida,
Nas trevas desta noite de procela?

 

Apenas mil lembranças! e, suspenso,

O éco da sua voz e a soledade!...

Ó mãe, se numa balança, tal qual penso,

 

Existe no teu mundo, a eternidade,

Mãe, põe dum lado o teu amor imenso,

E doutro lado põe: a minha saudade!

 

(Santo Antão) António Januário Leite

Simplesmente belo. E, como este, muitos dos que por aí andam dispersos em mãos de amigos.

 

A. Corsino Lopes, Mindelo, Maio, 13
 

januário leite.jpeg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

3 comentários

De João Sá a 13.06.2011 às 06:30

Bom dia e votos de uma boa semana :)
Este post está em destaque "Na Rede" na homepage do SAPO Cabo Verde e o blog está em destaque na homepage dos Blogs do SAPO Cabo Verde.

De José Alexandre Vera-Cruz a 17.06.2012 às 12:35

O seu blog permitiu-me alguns momentos de agradáveis lembranças.
José Alexandre Vera-Cruz
México 17 de Junho de 2012

De Brito-Semedo a 17.06.2012 às 13:41

Venha daí um abraço neste domingo solarengo , que mais apetece um mergulho na Laginha (Mindelo) ou na Quebra Canela (Praia) :-) É bom saber um patrício na terra-longe encostado no "Na Esquina", esta nossa Praça Nova virtual de convívio, a saber das coisas da terra. Apareça mais vezes para dar fé. Com amizade de diazá.

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Manuel Brito-Semedo

    Caro Zé Hopffer, Excelente! Terei isso em consider...

  • Anónimo

    Esqueci-me de me identificar no comentário anterio...

  • Anónimo

    Meu caro, seria interessante incluir o texto de Ar...

Powered by