Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Temos Blogueiro!

Brito-Semedo, 17 Out 11

 

Blogueiro.jpeg

 

Retomo, adaptando-o ao momento actual, o post e o texto que usei em Maio do ano passado, quando o Na Esquina do Tempo chegou aos seus 100 dias.

 

Um amigo jornalista, calejado nestas andanças e autor de um blogue, de há uns tempos para cá com periodicidade “quando calhário”, perguntou-me, na altura, se estava a criar um blogue porque achava que não tinha muito que fazer! Ironizando, deu-me três meses para, depois disso, voltarmos a conversar sobre o assunto. Pois bem, cá estou à espera de voltar a encontrá-lo Na Esquina, ou num Café, para a tal conversa!

 

A verdade é que, ter um blogue e mantê-lo activo e com alguma frescura, exige tempo, mais do que poderia adivinhar à partida. Fi-lo, sobretudo, porque senti falta, na blogosfera caboverdiana, de um blogue de divulgação literária e cultural, que pudesse partilhar com os falantes da língua portuguesa a dinâmica do país neste particular e levar conforto e mantenha das ilhas aos patrícios na terra-longe. É assim que elaboro ou escolho a dedo o texto que vou postar, sempre a condizer com alguma efeméride significativa para mim e para aqueles que me acompanham virtualmente! Passados quase dois anos, constato que tenho gasto muitas horas fazendo dele um projecto pessoal e, desejavelmente, interessante. Assim, o balanço é francamente positivo e gratificante, com retornos muito agradáveis.

 

Foram debitados no Na Esquina do Tempo 614 posts, que tiveram visitas na ordem das 63.000 (isto a partir de 17 de Março de 2010), com perto de 160.000 exibições de páginas, provenientes de mais de 100 países/regiões, nomeadamente, Portugal (com o maior número de visitantes depois de Cabo Verde), Estados Unidos da América (sobretudo da zona da Nova Inglaterra), Brasil (com o Rio de Janeiro ocupando o primeiro lugar, seguido de São Paulo, Salvador e Belo Horizonte), diversos países da Europa (Itália, França, Bélgica, Suécia, Reino Unido, Holanda, Espanha, Luxemburgo), da África (Angola, Moçambique, Senegal, Marrocos, Tunísia, Gana, África do Sul) e mesmo da Ásia (Macau, Turquia, China, Japão, Timor Leste e Arábia Saudita), numa média semanal acima das 1.500 visitas.

 

Como reacção directa, houve perto de 1.200 comentários, para além daqueles feitos no facebook, a maior parte deles agradecendo, elogiando e estimulando a iniciativa, outros dando conta da indicação do blogue como material de consulta obrigatória a estudantes universitários da realidade cultural caboverdiana, outros, ainda, partilhando a sua vivência e cotejando realidades, o que faz do Na Esquina do Tempo um  espaço importante de convívio e de troca.

 

Last but not the least, uma vénia e uma palavra de apreço à equipa do SAPO Internacional, particularmente à Trêza, que concebeu os atraentes layouts e está sempre disponível para fazer os ajustes que se vão revelando necessários.

 

Assumo: Temos blogueiro!

– M. Brito-Semedo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

26 comentários

De Amilcar Aristides Monteiro a 01.11.2011 às 02:18

Caro Brito_Semedo , Parabéns pelo blog. Identifiquei-me mto com o que diz. Descobri que o blog tem vida própria e o seu magazine cultural on line está espectacular . Imprimir sempre foi fatal para a publicação em Cabo Verde e esse tipo de produção acaba sempre por desaparecer. Obrigado assim por preservar a nossa memória comum e contribuir com paixão. Um grande Abraço. Tide . 

De Brito-Semedo a 01.11.2011 às 18:21

Caro Amigo, Vindo de quem vem, homem das TIC e bloguista firmado na praça, o elogio sabe melhor :-)! Partilho a apreciação com a Trêza , a autora do Layout .
É bom saber que, mesmo estando na terra longe, ainda arranja tempo para se encostar ao "Na Esquina" e saber do que acontece na nossa terrinha.
Apenas para criar manha: hoje houve o Festival do Milho Verde no Restaurante Avis e foi um "fartote" :-). Mauzinho, eu?! Rsss!!!
Saudades e volte breve!

De Amilcar Aristides Monteiro a 04.11.2011 às 01:53

Viva! Estou cá mas a minha alma vive na terra ;) n tem como a nossa identidade é mto forte. Temos é que capitalizar isto porque mesmo quem veio à mto tempo está cá e lá. Mas falando sério a comunidade caboverdiana parece adormecida. Falei com um consultor americano ele disse-me que é como se os caboverdianos estivessem numa festa e se mantivesem num canto. É uma generalização mas de facto no geral o nosso povo não se integra e isso é preocupante. Gosto mesmo muito da sua escrita e o magazine inspira. Aproveito para lhe deixar o endereço do MORABEZA, Turismo Sustentável em Cabo Verde que é grupo que estamos a dinamizar para debater uma alternativa ao turismo de massa. http://www.facebook.com/morabeza.turismo (http://www.facebook.com/morabeza.turismo) Fica desde já o convite para partilhar alguma perola com a comunidade. Viva!

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Reyan

    Só música de qualidade! Instrumentos de corda real...

  • Anónimo

    Oi sou cabo-verdiano, estou aqui de passagem, esto...

  • Regiane

    Exelentes musicas . Me faz recordar o tempo do meu...

Powered by