Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Joguim d' Oril pa Xsparajá?!...

Brito-Semedo, 4 Set 11

 


Pintura de David Lima

 

 

Pintura de Kiki Lima

 

 

Pintura de João Lima

  


Pintura de Edith Borges

 

 

Pintura de Cajuca

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

15 comentários

De Djack a 04.09.2011 às 22:28

Quadros apetitosos, todos, com um abraço especial para a Edith.

De resto, que posso dizer mais sobre o oril que também pode ser uril? Que também pode ser ori, que também pode ser oro, que também pode ser ouri ou que também pode ser urim, conforme "a especificidade de cada ilha", como diz o nosso patrício Albertino Graça, homem da Ribeira Bote, no seu livro "Jogo de Oril - Regras, estratégias e teorias" - Ed. ONDS (Organização Nacional da Diáspora Solidária), 1998, Cabo Verde, com patrocínio da Shell de Cabo Verde que comprei em S. Vicente há uma década. Digamos que é a bíblia da coisa  e está tudo dito. Comprei o livro, comprei um bonito jogo ali junto à velha alfândega (que está aqui mesmo ao pé de mim, no escritório), mas desgraçadamente até hoje não o sei jogar...

E há a citar o nome de Onésimo Silveira "Cuxim", que enquanto presidente da Câmara Municipal de S. Vicente deu grande apoio à modalidade, criando até um espaço junto à Torre de Belém para a prática do mesmo.

De Brito-Semedo a 04.09.2011 às 22:52

E com este seu comentário, o post ficou bem legendado. Eu sabia da existência do livro "Jogo de Oril - Regras, estratégias e teorias", do Amigo Albertinho Graça, que saiu quando estava fora de Cabo Verde, saí à procura, mas não o encontrei. Obrigado por o ter deixado registado aqui. Fico a dever-lhe mais esta (a minha dívida já vai longa). Braça!

De judith wahnon a 05.09.2011 às 02:00

Lindos quadros, com o mesmo tema, o nosso Urim ( como eu chamo a esse jogo) e agora entendi pelo comentario acima  que  ha outras variantes da mesma palavra.   Esse jogo que faz uma parte integrante da nossa cultura, e tambem practicado em outros paises. Lembro me de ter visto em Mocanbique pessoas jogando com os buracos feitos na terra batida , no chao.   Aqui nos E.U. apareceu uma febre desse jogo ha uns anos, e o chamavam de "Mancala,"  um jogo Africano...mas nao diziam de que Pais. Eu tenho uma " banca" de urim  feito nas Filipinas  onde tambem e jogo  popular. De onde tera sido originado?? ate hoje lembro me de me sentar com a minha Avo jogando urim,  foi com ela que aprendi , nao sabia que havia um livro com as regras .   E bom entrar neste Blog , sempre aprendo alguma coisa !  Braças

De João Sá a 05.09.2011 às 07:15

Bom dia, estimado e votos de uma excelente semana.
Este  post está em destaque "Na Rede" na homepage do SAPO Cabo Verde para começar a semana com cor :)

De Anónimo a 05.09.2011 às 08:31

Vou tentar responder logo à tarde, consultando o citado livro.
Até logo, então.

Djack

De Luiz Silva a 05.09.2011 às 09:35

Um dos maiores jogadores de uri de São Vicente, na praceta situada  no fundo da Rua Antonio Nola, é um chinês, que se exprime num bom crioulo e conhece toda a linguagem utilizada nesse jogo. Quando estou em São Vicente, vou constantemente a essa praceta com o Carlos de Pa Dom (Dr. Carlos Almeida) que aliàs fez referências ao jogo do uri no seu livro de contos. Fazia-nos  rir o seu dialogo  em crioulo com o Body, velho jogador de uri , na disputa dos ultimos grãos de uri :bô crê um dobe el pa diante ô pa traz? E o Body ficava quase mudo, com meias palavras, e ele acrescentava: bô ta tmal ondê bô crê. Dizem que o chinês é formado em engenharia e que passou muito tempo somente a assistir os jogos de uri e que no dia em que começou a jogar e a ganhar grandes jogadores as pessoas ficaram perplexas. Tornou-se uma figura da praceta e graças ao uri se caboverdianizou-se completamente... Ao que parece ja' tomou a nacionalidade caboverdiana e espera fazer parte da selecçao de São Vicente de uri no proximo campeonato de Cabo Verde. 

De Adriano Miranda Lima a 05.09.2011 às 10:55


O curioso é que três dos artistas dos muito sugestivos quadros têm apelido Lima. Será que têm algum parentesco comigo? Dos três, só conheço o Kiki Lima, em casa de quem, aliás, jantei em 2003, por convite do casal. Mas, que eu saiba, não somos parentes.
O que mais me cativa nas pinturas é a fisionomia, ainda que pictoricamente esbatida, bem cabo-verdiana dos jogadores nelas presentes. A alma foi bem captada na sua pose concentrativa à roda do tabuleiro de uri.
O uri é um jogo que nunca tive oportunidade de jogar. Quem sabe um dia destes...

De Brito-Semedo a 05.09.2011 às 20:35

A mim me parece mera coincidência 3 dos artistas serem LIMA, bem assim o tema abordado. Já isso de serem família, lembre-se que em Cabo Verde somos todos primos :-)

De Djack a 05.09.2011 às 11:56

Prometido é devido e qui estou eu a tentar dar uma resposta sintética sobre a origem do jogo, recorrendo exclusivamente à "bíblia" do engenheiro Albertino Graça, "Jogo de Oril - Regras, Etratégias e Teorias".

Diz ele, logo à página 9, o seguinte: "O Oril é um jogo muito antigo, cuja origem exacta se desconhece. Admite-se porém, que terá sido inventado pelos egípcios, na época dos faraós. Foi levado mai trde para divrsas regiões da Ásia, Filipinas e África negra, onde tem vindo a desenvolver-se ao longo dos tempos. No século XVI, os escravos negros introduziram-no nas Américas e nas Antilhas, onde é conhecido por 'adji'. (...) Não se sabe ao certo quando se começou a praticar o jogo de oril em Cabo Verde nem a ilha onde se deu o primeiro passo nesse sentido. É, contudo, um dado adquirido que foi introduzido pelos escravos que vinham da África. Por esta razão, pensamos que Santiago terá sido a primeira ilha onde se começou a jogar o oril. O jogo terá chegado a S. Vicente recentemente, através dos que vieram da Boavista para trabalhar nas companhias de carvão. Nhô Januário foi uma dessas pessoas."

Enfim, talvez isto já responda de algum modo à pergunta feita mais acima.
Braça,
Djack

De Brito-Semedo a 05.09.2011 às 12:09

Djack, Isto, mais que um comentário, foi uma consultoria:)!  Obrigado, Amigo!
Viu, Judith Whanon, como vale sempre a pena uma paragem no "Na Esquina"? Eu também fiquei a saber! Braça!

De Valdemar Pereira a 05.09.2011 às 13:20

Não ouso desafiar quem quer que seja mas lanço um repto ao Adriano:
- Vou Tomar conta de ti e, com o que sabes da profissão, seràs um estratega.
Compreendi esse jogo (sem estratégias) ainda era miùdo e os buracos do tabuleiro, em cima de uma mesa, eram circulos feitos com giz. Os grãos eram pedrinhas, feijões ou milho.
Lembro-me de ter ouvido "ca bocês brincà que cmida".

De Djack a 05.09.2011 às 15:08

E mim, bô ca ta insiná? Ó Deus, esse Val ta merecê fortim!!!

De Brito-Semedo a 05.09.2011 às 20:16

Mim, Nha boca ca ta lî! Mi e fora mitida, hihihi!!!

De Valdemar Pereira a 06.09.2011 às 16:09

Ô nha mãe !!!
La na Fortim agora tem so friu.
No ta ba jga na Praia de Bote.

De manuel varela a 09.10.2015 às 09:03

Bom dia.
gostaria de saber se existe em Cabo Verde jogador de oril que joga melhor que Quim de Achadinha Baixo (Praia)
cumpts.

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Reyan

    Só música de qualidade! Instrumentos de corda real...

  • Anónimo

    Oi sou cabo-verdiano, estou aqui de passagem, esto...

  • Regiane

    Exelentes musicas . Me faz recordar o tempo do meu...

Powered by