Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vem aí "A Morte do Ouvidor"

Brito-Semedo, 10 Jun 10

Com a devida vénia, reproduzimos aqui a notícia do “Diário Digital”, de 9 de Junho último, que dá conta que será lançado brevemente em Lisboa um novo livro de Germano Almeida.

 

 

A Morte do Ouvidor, será lançado no final do mês de Junho, novamente pela Caminho. É o primeiro romance histórico deste escritor cabo-verdiano.

 

«´Mesmo pretendendo contá-la como se fosse apenas uma estória, nada nos impede de a começar acompanhando a escolta militar que vai conduzir o coronel Bezerra de Oliveira através das ruas de Lisboa a caminho da forca do Rossio`.

 
Com este parágrafo começa «A Morte do Ouvidor», o primeiro, e surpreendente, romance histórico de Germano Almeida. E termina com este outro:


´E assim espetada a última cabeça no poste mais alto, propositadamente escolhido para mostrar a todos o que tinha sobrado do temido coronel Bezerra de Oliveira, o ouvidor João Gomes Ferreira mais o seu séquito montam de novo os cavalos e trotam em direcção ao cemitério da vila da Praia. Vão devolver à cova a caveira do ouvidor João Vieira de Andrade, finalmente ele já pode gozar o eterno descanso`.

 
Entre estes dois parágrafos, uma forte história de violência, intriga e alta política como a entendia e executava, implacável e friamente, o Marquês de Pombal.

 
Após alguns anos de paragem na escrita, Germano Almeida reaparece com um romance histórico fortíssimo, capaz de surpreender a cativar todos os leitores».

________

Sinopse

 

A 28 de Fevereiro de 1764 é preso em Santiago, Cabo Verde, o coronel António de Barros Bezerra de Oliveira, e com ele nove cúmplices, acusados de terem assassinado o ouvidor João Vieira de Andrade. Transportados para Lisboa, são julgados e condenados à morte, e enforcados no Rossio. As cabeças são cortadas e enviadas para Santiago, para serem espetada sem paus e exibidas em público. A Morte do Ouvidor é um romance histórico que se centra neste acontecimento e que o relata em todos os pormenores, dando um quadro muito vivo da vida na colónia de Cabo Verde no tempo do Marquês de Pombal.

 

Germano de Almeida nasceu na ilha da Boavista, em 1945. Licenciou-se em Direito em Lisboa e exerce actualmente advocacia na cidade do Mindelo. Estreou-se como contista no início da década de 80, colaborando na revista Ponto & Vírgula. A sua obra de ficção representa uma nova etapa na rica história literária de Cabo Verde. Está publicada em Portugal pela Caminho e começa a despertar interesse no estrangeiro, nomeadamente o romance O Testamento do Senhor Napumoceno da Silva Araújo, do qual vários países compraram os direitos, encontrando-se já publicado no Brasil, na Itália e França. O filme de baseado nesta obra (O Testamento do Senhor Napumoceno) foi recentemente galardoado com o 1º Prémio do Festival de Cinema Latino-Americano de Gramado, no Brasil; foi igualmente distinguido com os prémios para o melhor filme e melhor actor no 8.º Festival Internacional Cinematográfico de Assunción, no Paraguai.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • joão

    Amigo de Mindelo, sabe "o que é ser inventor"? Enc...

  • Sandro

    Amei esse "BAÚ" só tem preciosidade! 

  • Gilson

    Musicas muito bonitas, acho muito legal musicas ap...

subscrever feeds

Powered by