Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

'O Testamento do Senhor Napumoceno'

Brito-Semedo, 28 Dez 10

 

Napumoceno.jpeg

Napumoceno da Silva Araújo (Nelson Xavier) era o homem mais bem sucedido do arquipélago de Cabo Verde. Por isso, a sua morte (em 1984) não deixou ninguém indiferente, principalmente o seu sobrinho, que já se via como herdeiro dos seus bens. Mas a vida de Napumoceno guardava segredos e, dentre eles, uma inesperada filha ilegítima herdeira de toda a sua fortuna. Através de fitas gravadas, Graça (Maria Ceiça) vai descobrindo a verdadeira personalidade do seu pai: um homem ambicioso, astuto, oportunista, sensível e apaixonado. Divertida com as confissões do seu pai, o que mais a surpreende e cativa são as relações sobre as mulheres da sua vida.

 

Ficha Técnica

Realização: Francisco Manso

Argumento: Mário Prata

Produtor: António Gonçalo e Francisco Manso

Ano: 1997

Género: Drama

Duração: 117’

Elenco: Nelson Xavier (Napumoceno) Maria Ceiça (Graça) Chico Díaz (Carlos) Zezé Motta (Eduarda) Vya Negromonte (Mari Chica) Milton Gonçalves (The Mayor) Francisco de Assis (Fonseca) Karla Leal (Adélia) Camacho Costa (Paiva) Elisa Lucinda (Dona Jóia) José Eduardo (Dr. Scusa) Horácio Santos (Baptista) Alexandre de Sousa (Benoliel) Manuel Estevão (Manuel) Silvestre Évora (Notário) Cesária Évora (Arminda).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

'Ilhéu de Contenda'

Brito-Semedo, 27 Dez 10

 

Tendo como o fundo a beleza natural de Cabo Verde, este filme explora a evolução da estrutura colonial de classes. Devido às mudanças na cidade, a aristocracia descobre que terá que ceder poder para uma nova classe emergente. Neste processo, eles estão dando forma à uma nova identidade nacional híbrida que fará uma síntese do tradicional com o novo, como também entre elementos da cultura africana e portuguesa.

 

Classificação:M12

País: Cabo Verde

Ano: 1996

Género: Drama

Duração: 110m 

Realização:

Leão Lopes

Interpretação: Camacho Costa, Fernanda Alves, João Lourenço

 

 

 

Quanto às terras da banda de cá, Ilhéu de Contenda valia sobretudo pela casa, um sobrado tradicional. Sobrado que sobrou dos sobrados, orgulho-ilusão duma classe que o tempo destroçou. A história de gente para quem a vida era uma incerteza permanente: ora a falta de chuva, ora o bicho preto, o gafanhoto, o vento leste, ou outra coisa qualquer que surgia, destruindo as esperanças de uma nó. Gente que não ia ficar amarrada toda a vida àquele meio sem horizontes. Um grande e belo romance sobre Cabo-Verde, do mesmo autor de Contra Mar e Vento.

 

Autor: H. Teixeira de Sousa
Título: Ilhéu de Contenda

Editor: Europa-América
Ano de edição: 1983

in Livroditera

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/15

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

subscrever feeds

Powered by