Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Ontem à noite, depois de fazer a sua declaração de vitória, o Presidente Eleito, Dr. Jorge Carlos Fonseca, foi interpelado pela jornalista Matilde Dias, que o acompanhou durante todo o tempo de campanha, a “cobrar” a sua promessa de oferecer um almoço à Comunicação Social, sendo ele o Chef de Cozinha.

 

O “Na Esquina do Tempo”, que tem uma vocação gastronómica – “Mi é rusga de certéza… Bô podê mandá bóca” – pôs-se em campo e apresenta aqui a receita do Chef-Presidente.

 

‘Caldo de Peixe com Molho de Iogurte’

 

Molho de Iogurte - Ingredientes:
 
- 1 colher (sopa) de cebolinha verde picada
- 1 pote de iogurte natural
- 1/2 colher (sopa) de sal; pimenta a gosto
- 1 colher (sopa) de salsa picada
  
Caldo de Peixe – Ingredientes:
 
Garoupa, bicuda, palombetas, moreias, etc.
2 cebolas
1 dl de azeite
1 dl de óleo
3 tomates maduros
2 dentes de alho
1/2 folha de louro
1 raminho de coentros
3 a 4 grãos de malagueta
1 kg de batata
1 kg de batata doce
1/2 kg de banana verde
1/2 kg de mandioca
1/2 de inhame
1/2 kg de abóbora
sal q.b.

 

Preparação:
 
Num tacho põe-se a cebola cortada às rodelas, os alhos picados, louro, malagueta, tomate e azeite doce. Deixa-se refogar um pouco e colocam-se as verduras descascadas e lavadas. A banana verde é sempre descascada em água e sal, para lhe tirar a "nódoa". Deita-se água q.b. Quando estiverem quase cozidas, colocam-se as postas de peixe que entretanto estiveram com sal. Para engrossar o caldo rala-se mandioca fresca na quantidade que desejar ou então desfaz-se farinha de pau num pouco de água que se junta ao caldo, mexendo sempre. Rectifica-se o sal e malagueta e serve-se tudo numa tigela grande ou o caldo com as verduras numa terrina e o peixe numa travessa.

 

Viva o Chef, digo, Viva o Presidente da República Eleito!

 

Foto Expresso das Ilhas

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fogo gentilmente cedida pelo Autor

 

 

Coitado quem dixâ sê terra,
Sêl dixã nél sê coraçom;
Êl embarca pa terra longe
Sim sabê si al birâ, ó nam!

Coitado quem p`es mar de Cristo
Cubiça têm chumá-l, lebá,
Pôs canto bês tem conticedo
Mute que bai ca boltâ má!

Coitado quem nim ta drumi
Sê coraçam ta descançâ:
Pa punde êl bai voz de sodade
Na obido ´sta-l`sá ta chorá!

Coitado quem na terra estranho,
Sim má, sim pá, sim jaraçôm,
Si êl dijijâ bem pa sê terra
Ca achâ ninguêm pa dá`l de môm!

 

– Pedro Cardoso, in Folclore caboverdiano, 1933

 

Caricatura publicada na capa da revista "Ponto & Vírgula, N.º 4, Agosto/Setembro de 1983

 

 

Pedro Monteiro Cardoso

 

(Fogo, 24 de Outubro de 1883 – 29 de Outubro de 1942)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Ariel

    Muito bom o livro! 

  • Anónimo

    Muito obrigada por nos presentear com estas inform...

  • Léo

    Olá, realmente esse ritmo é contagiante, fico me i...

subscrever feeds

Powered by