Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Esta Noite Fria

Brito-Semedo, 8 Jan 12

 

Do piedoso silêncio da noite fria

saiu hoje de mim a palavra que lavra

entre a mão  e o coração

E ela logo ficou presa não sei onde

e  agora só sinto o silêncio duro e esquivo

no  pélago sem margens e sem pontes

onde nascem as sombras os mitos e os presságios

 

Mas ganha corpo a fantasia que resta ao sono

de quem é justo e que de justiça só tem a promessa vazia

de que o silêncio faz ninho nos recantos das mágoas e dizeres

 

Esta noite tem artimanhas que eu não decifro

porque a  tarde morreu deixando-me como legado

apenas um  silêncio mudo e ressentido

a envolver-me em fina e amarga desilusão

que nada nem o tempo minora ou desvanece

 

- Adriano Miranda Lima, Tomar, Portugal

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Manuel Brito-Semedo

    Caro Zé Hopffer, Excelente! Terei isso em consider...

  • Anónimo

    Esqueci-me de me identificar no comentário anterio...

  • Anónimo

    Meu caro, seria interessante incluir o texto de Ar...

subscrever feeds

Powered by