Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

'Precisamos Falar sobre o Kevin'

Brito-Semedo, 11 Mai 12

Precisamos Falar Sobre o Kevin é a adaptação do cineasta Lynne Ramsay para o best-seller homônimo de Lionel Shriver sobre o difícil relacionamento de uma mãe com seu primogênito, levantando questões polêmicas como "é possível não amar um filho?"; "Será que o caráter de uma pessoa é estabelecido desde o nascimento ou é modificado ao longo da vida?".

 

Logo no início do filme, nos deparamos com cenas de Eva (interpretada por Tilda Swinton, de As Crônicas de Nárnia) triste e cansada, mas que não se surpreende ao abrir a porta de casa e ver que as paredes, o chão e o carro estão cheios de tinta vermelha. Ela vive sozinha e tenta se readaptar ao mundo, começando pela busca de um novo emprego.

 

Esses sentimentos de tristeza e angústia nasceram no passado, na época em que vivia com Franklin (John C. Reilly - Cyrus) e com os filhos Kevin (Jasper Newell, na infância, e Ezra Miller, na adolescência) e a pequena Celie (Ursula Parker). Com o primogênito, Eva nunca se deu bem; desde o nascimento, quando não sabia como lidar com o bebê, até a adolescência, período de comum rebeldia.

 

Porém, apesar do relacionamento complicado com o filho, Eva não poderia imaginar que, aos 15 anos, Kevin seria capaz de tomar uma atitude tão irracional e imperdoável aos olhos da sociedade, que afetaria diversas outras famílias. Talvez pelo sentimento de culpa, ou até pelo amor que existia dentro dela sem se fazer notar, a mãe não abandona o filho e encara de frente aqueles que a criticam.

 

Precisamos Falar Sobre o Kevin foi eleito o melhor filme no Festival de Cinema de Londres de 2011 (Fonte).

 

Género: Thriller

Duração:112min

Classificação: M/12

Título Original: We Need to Talk About Kevin

Realizadores: Lynne Ramsay

Ano: 2011

Origem: EUA

Interpretação: Ezra Miller, John C. Reilly, Tilda Swinton

Argumento: Lynne Ramsay

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

'O Cônsul de Bordéus'

Brito-Semedo, 10 Mai 12

 

Alexandra Schmidt, uma jornalista portuguesa vai até Viana do Castelo para entrevistar o maestro brasileiro Francisco de Almeida, que se vai reformar. Aí confronta-o com o seu verdadeiro nome, Aaron Apelman. A curiosidade da jornalista leva o maestro a recordar uma série de eventos passados no longínquo mês de Junho de 1940, quando, aos 10 anos de idade, e ainda com esse nome, foi salvo da perseguição nazi pela acção do cônsul de Portugal em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes. O cônsul, por esses dias, é um homem dividido: sabe que os refugiados hebreus, em número cada vez maior, precisam de vistos para alcançar Portugal e daí partir para o Novo Mundo; mas tem as mãos tolhidas pela famigerada Circular 14, de Salazar, que proíbe a emissão de vistos a judeus. A pressão do rabino Krueger e a força das convicções católicas do próprio Sousa Mendes acabam por levar a melhor. O cônsul decide desobedecer à Circular 14 de Salazar, que proíbe a emissão de vistos a judeus… (Fonte)

 

Ficha Técnica:
Realização: Francisco Manso e João Correa
Argumento: António Torrado e João Nunes
Produtor: José Mazeda
Ano: 2011
Género: Drama
Duração: 120’

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Reyan

    Só música de qualidade! Instrumentos de corda real...

  • Anónimo

    Oi sou cabo-verdiano, estou aqui de passagem, esto...

  • Regiane

    Exelentes musicas . Me faz recordar o tempo do meu...

subscrever feeds

Powered by