Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Seló.jpeg

Foto Daniel Monteiro Júnior

 

 

Em nome da Universidade de Cabo Verde e em representação da sua Comunidade Académica é com muito prazer e honra que os recebemos neste Auditório e é com desmesurada honra recebemos os Novíssimos e excelentíssimas famílias.

 

A Universidade Pública de Cabo Verde é concebida como um projecto de ensino superior com a missão de capacitar a nação cabo-verdiana de modo a vencer os grandes desafios de desenvolvimento e modernização do país.

 

Através de programas de ensino, investigação e extensão a Uni-CV procura contribuir para o progresso sustentável e a inclusão social dos cabo-verdianos para o reforço da identidade cultural da nação, bem como para a competitividade da economia cabo-verdiana.

 

Nesse sentido, a Universidade de Cabo Verde tem como um dos eixos de intervenção o reconhecimento de escolas científicas, literárias e artísticas dum modo geral, que se desenvolveram e se desenvolvem em Cabo Verde e que assumem a missão e os valores defendidas pela academia pública, entre as quais a liberdade, a equidade e a solidariedade, como caminhos para uma sociedade justa e dinâmica.


A sessão de hoje é o reconhecimento do movimento SELÓ como escola e tem lugar no âmbito do “2012, Ano da Língua Portuguesa”. Uma escola literária, uma escola de intervenção, de cultura e de emancipação. Amílcar Cabral disse que a luta para a independência era (e foi) um acto de cultura. Essa consciência certamente foi a que presidiu ao surgimento da cadeia de movimentos literários em que SELÓ se insere, integrada por cabo-verdianos que fizeram da cultura a arma para a independência.

 

Estamos aqui para comungar momentos de Evocação e Celebração duma geração de jovens que como simples cabo-verdianos decidiram saldar a sua dívida para com o seu povo e viver a sua época, para tal tendo-se munido de todas as armas de que dispunham: as palavras, o engenho e a arte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

subscrever feeds

Powered by