Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Questão do Gado em Cabo Verde

Brito-Semedo, 7 Jan 13

 

Já o jornal A União Portugueza de 9 de Março de 1899, repetindo notícia do Commercio do Porto, dava conta da falta de animais para consumo alimentar nas ilhas de Cabo Verde. Importados principalmente de Angola, onde grassavam diversas epidemias, estas não tinham sido acauteladas, pelo que houvera forte mortandade entre eles. De modo que na altura a carne de porco estava a 700 réis e a de carneiro oscilava entre os 800 e os 1$000. A carne destes dois tipos era escassa no momento e prestes a desaparecer, bem como a de galinha, vendida a 1$200 a unidade… Note-se que esta importação de animais de Angola para Cabo Verde durou por muito tempo. Ainda em 1962 transitaram pela cidade angolana de Sá da Bandeira, destinadas ao posto pecuário do Caracul, 260 cabras da raça angorá, 50 das quais iriam depois para Cabo Verde.

 

Por outro lado, no seu terceiro número, em 15 de Maio de 1913, O Futuro de Cabo Verde fazia eco dos lamentos e reclamações de proprietários e criadores de gado, pela maneira como este era vendido em S. Vicente. Afirmava-se ali que a falta de normas que regulassem essa venda e saída de animais originava muitas fraudes que ainda por cima a maior parte das vezes ficavam impunes. E pedia-se no mesmo local que fosse o município a elaborar uma postura regulamentar onde ficassem plasmadas, sem lugar para dúvidas, as regras de venda e embarque de gado vivo, a fim de se pôr termo às falcatruas que então tinham lugar. Na altura, perto da época das chuvas, lembrava-se à comissão municipal que, à semelhança daquilo que se havia feito em anos anteriores, estava na hora de se adquirirem sementes para em momento oportuno serem lançadas nas zonas de pastos públicos. Dentre estas, por análises feitas em laboratório da cidade da Praia, a forraginosa mais adequada ao dito solo parecia ser a palha “jéjé”, por possuir bastantes elementos nutritivos. E ainda se solicitava ao município sanvicentino que mandasse limpar e reparar os poços onde o gado bebia, em geral imundos…

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Anónimo

    Oi sou cabo-verdiano, estou aqui de passagem, esto...

  • Regiane

    Exelentes musicas . Me faz recordar o tempo do meu...

  • Livia Ramos Silva

    Meu tio irmao do meu pai tio Dino de monte. Saudad...

subscrever feeds

Powered by