Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Djosinha de Bernarda, Uma Homenagem

Brito-Semedo, 29 Jun 13

Legenda: Luís Morais no saxofone, João Morais na bateria e Djosinha de Bernarda no clarinete. Foto Luiz Silva
 

«Óh Rei! Não dê o visto para a Pasargada

àquele que não pôs as mãos na construção do Templo.»
(Osvaldo Alcântara, heterónimo poético de Baltasar Lopes)

 

Djosinha de Bernarda, menino do Monte Sossego, ali nasceu a 9 de Maio de 1940. Naquele tempo  o Monte Sossego estava separado da cidade por uma enorme chã, sem iluminação, com dois cemitérios  (inglês e americano) e um “esteirado” para criket no meio da chã. Uma grande parte da história de São Vicente perdeu-se com a eliminação dos dois cemitérios, onde foram edificadas casas sobre os sepulcros  de  figuras importantes da construção económica e cultural da  cidade do Mindelo. O medo da noite e dos gongons também deixou as suas estórias no caminho de Monte Sossego,  lembradas nas coladeras do Manuel d’Novas e Frank Cavaquim.  Monte Sossego teve também excelentes atletas que marcaram o desporto Mindelense, mas também cantores e compositores de mornas que davam um colorido musical aos fins-de-semana. Uma das mais lindas mornas dedicada a uma menininha de Monte Sossego, interpretada por Bana, conheceu o mundo. Trata-se da morna Lutchinha, da autoria de Albano de Wilson, actualmente a residir  no Rio de Janeiro, morna essa dedicada à sua mulher. Havia muita dignidade no relacionamento das pessoas e uma certa nobreza herdada da convivência diária  com os ingleses no desporto e nas companhias de carvão, que também formaram grandes quadros técnicos em sectores de máquinas e outros ofícios. Este é o retrato de Monte Sossego daquele tempo, antes que alguns apostólos da nossa emigração descobrissem o «caminho marítimo» para Holanda, onde Djosinha de Bernarda viria a desempenhar um papel importante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/22

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Manuel Brito-Semedo

    Caro Zé Hopffer, Excelente! Terei isso em consider...

  • Anónimo

    Esqueci-me de me identificar no comentário anterio...

  • Anónimo

    Meu caro, seria interessante incluir o texto de Ar...

subscrever feeds

Powered by