Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Fernando Pessoa é considerado o maior poeta português do século XX, e provavelmente divide com Camões o título de maior de todos os tempos entre os lusitanos. Nascido em 1888, na cidade de Lisboa, Pessoa é quase uma multidão de um homem só. É conhecido pela “criação” de outros poetas, seus heterônimos. Figuras que são muito mais que pseudônimos, nascidos da complexidade do poeta, mas que possuem uma vida e um estilo literário bem distinto.

 

Agora, o poeta fingidor de dores que deveras sentia tem sua poesia completa disponibilizada no Portal Domínio Público. A simplicidade camponesa de Alberto Caeiro, o futurismo de Álvaro de Campos, o neoclassicismo de Ricardo Reis, o desassossego do semi-heterônimo Bernardo Soares e, claro, as reflexões do próprio Pessoa estão disponíveis em PDF para download.

 

O conteúdo reunido no Domínio Público inclui as obras que o poeta português publicou na língua inglesa e todos os arquivos são bem legíveis (não são escaneados como eu pensei que fossem). O acervo obviamente tem seus probleminhas: obras repetidas e falta de organização cronológica são detalhes que até passam batido, o que pode incomodar um pouco mais é que ao procurar por “Fernando Pessoa” não aparecem algumas das obras de seus heterônimos. Mas nada que buscar por “Ricardo Reis”, por exemplo, não resolva.

 

Com a proposta de criar uma biblioteca virtual com conteúdos que podem ser acessados gratuitamente e composto por materiais que já se encontram em domínio público ou que tenham a licença dada pelos titulares dos direitos autorais, o Portal Domínio Público foi lançado em 2004 pelo Ministério da Educação doBrasil, com um acervo inicial de 500 obras. Hoje, segundo dados do próprio site, são quase 200 mil arquivos, sendo que 182.453 deles são de textos, ou seja: livros, muitos livros!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

subscrever feeds

Powered by