Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Morreu Orlanda Amarilis

Brito-Semedo, 1 Fev 14

 

Amarílis.jpeg

 

 

Orlanda Amarilis Lopes Rodrigues Fernandes Ferreira

 

Assomada, Santa Catarina, 08.Outubro.1924 - 01.Fevereiro.2014

 

 

Faleceu hoje, 1 de Fevereiro, pelas 14 horas, em Lisboa, Portugal, aos 89 anos de idade, a escritora Orlanda Amarilis.

 

A viver em Portugal desde os meados dos anos 1950, a escritora Orlanda Amarilis pertenceu ao movimento literário "Certeza" (1944), revista que depois da "Claridade" marcou um momento significativo na vida cultural cabo-verdiana. Como ficcionista, colaborou em várias revistas, nomeadamente "Colóquio/Letras", "África", "Loreto 13" da Associação Portuguesa de Autores, está representada em várias antologias. Publicou vários livros de contos, nomeadamente, Cais de Sodré Té Salamansa (1974), Ilhéu dos Pássaros (1983) e A Casa dos Mastros (1989). Contos seus foram traduzidos para o russo, húngaro e holandês. Escritora de talento e ficcionista de grande qualidade literária, o seu trabalho foi reconhecido por críticos portugueses como Jacinto Pedro Coelho, Duarte Faria, Fernando Assis Pacheco, Casimiro de Brito, Pires de Laranjeira entre outros.

 

Orlanda Amarlis era casada com célebre escritor Manuel Ferreira, e era filha do investigador Armando Napoleão Fernandes autor do primeiro Dicionário Crioulo Português. Teve dois filhos, sendo o mais velho já falecido.

 

Segundo informações recebidas do sobrinho Carlos Filipe Gonçalves, o funeral realiza-se na segunda-feira, o seu corpo será cremado conforme o seu desejo, as cinzas serão colocadas no jazigo da família, onde repousam o marido e o filho.

 

As nossas mais sentidas condolências ao filho Hernanâni Ferreira e esposa, à neta Andreia e a toda a Família.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Contacto

Brito-Semedo, 1 Fev 14

 

Para mais infomações sobre o blogue favor enviar e-mail para o endereço do autor

 

m.britosemedo [arroba] sapo.cv

 

Grato.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Ariel

    Muito bom o livro! 

  • Anónimo

    Muito obrigada por nos presentear com estas inform...

  • Léo

    Olá, realmente esse ritmo é contagiante, fico me i...

subscrever feeds

Powered by