Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bode Expiatório

Brito-Semedo, 3 Out 14

 

Bode.jpeg

 

 

Para o Amigo Álvaro Ludgero Andrade, Jornalista dos tempos aziagos.

 

 

Em finais deste mês de Outubro, inicia-se um novo ano político e judiciário com o debate no Parlamento sobre o estado da Justiça. É já esperado por todos os cabo-verdianos que se vai recorrer à propaganda política e trazer preso por uma cordinha o bode expiatório dos anos 90.

 

A matriz judaico-cristã inculcou na formação dos cabo-verdianos o sentido do pecado e o ónus da culpa. Daí a dificuldade em pedir desculpas, pior ainda, pedir perdão porque seria, implicitamente, reconhecer o erro e confessar a culpa.

 

Desde muito cedo aprendemos a reagir ao apontar do dedo e a nos desculparmos face às incriminações: – Mim, n’ ê mim! Mim n’ ê culpódel (1).E procura-se ou inventa-se um culpado, um bode expiatório, no sentido figurado do termo.

 

Será por isso que se diz que a culpa sempre morre solteira?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Joaquim ALMEIDA

    Inteiramente de acordo com a Gilda !.A mais bela c...

  • Anónimo

    Monte cara também,seria um bom nome para a nossa c...

  • eduardo monteiro

    Mindelo a minha eterna enamorada, a vida verdadeir...

subscrever feeds

Powered by