Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Percurso Identitário Cabo-verdiano

Brito-Semedo, 7 Abr 15

 

Identidade Nacional.jpg

 

Cabo Verde, antes mesmo de se assentar como Estado, “constituiu-se em Nação à revelia do colonialismo”, usando a expressão de Gabriel Mariano (1991).

 

Juntamente com a constituição da Nação cabo-verdiana, facto mais ou menos consciente entre a elite letrada, dá-se início ao processo de construção da identidade nacional.

 

A sociedade cabo-verdiana tem uma história, no decurso da qual emergiu uma identidade específica.

 

As etapas desse processo foram determinadas por momentos de crise socio-económica e político-ideológica, que podem ser observadas em momentos determinados de crise:

 

A primeira crise ocorreu nos finais de mil e oitocentos, com a ideia propalada da venda das colónias, que representou o culminar da falta de interesse e do abandono secular de Portugal sentidos pela população;

 

A segunda crise aconteceu em mil e novecentos, mais precisamente, nos inícios de trinta, com a decadência do Porto Grande, na decorrência de uma crise económica mundial, e o estabelecimento do Estado Novo;

 

A terceira crise deu-se nos finais da década de cinquenta de mil e novecentos, com a fundação de movimentos nacionalistas nas colónias e do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), aliada a uma profunda crise interna do regime de Salazar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

subscrever feeds

Powered by