Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Cronicas.jpgCrónicas da Terra Longe, a obra que aqui apresentamos, é não só um produto desta emigração, mas também a epopeia dessa partida do povo cabo-verdiano para outros horizontes. Um produto na medida em que o autor teve também que partir para a terra longe, um sonho que acalentou desde a infância de ir à procura da mãe que também emigrara quando ele apenas tinha 5 anos. A este factor veio acrescentar-se a sua consciencialização da realidade cabo-verdiana, da vida de luta do seu povo contra as secas e a fome que dizimaram, em diferentes épocas, milhares de cabo-verdianos. Foi certamente por ter partido para novos horizontes e conhecido a realidade dos cabo-verdianos emigrados que Luiz Silva se interessou por este tema da emigração. A presente obra reúne diversos artigos e ensaios publicados de há 3 décadas para cá em diversos jornais e revistas, nomeadamente em Cabo Verde, França, Holanda e Estados Unidos.

 

Crónicas da Terra Longe é também uma epopeia da emigração cabo-verdiana na medida em que descreve a história deste povo em terra estrangeira, os seus combates nos países de imigração e também em Cabo Verde pela preservação dos seus plenos direitos de cidadão, as suas conquistas e a sua contribuição para o desenvolvimento “des dez grãozinho di terra espaiode na mei di mar".


Uma breve apresentação do autor permite uma melhor compreensão da razão de ser desta obra:


Natural de Mindelo, foi nesta ilha que Luiz Silva fez os estudos primários e secundários, tendo partido aos 19 anos, por razões profissionais, para a ilha do Maio e depois para Santiago.


Na ilha do Maio, teve a oportunidade de aprofundar o seus conhecimentos sobre a história das ilhas e em particular da do Maio, graças a informações colhidas junto de amigos e colegas de trabalho, mas também às pesquisas que efetuou nos arquivos do Município.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Djack

    A primeira medalha faz-me muita "manha", porque nã...

  • Manuel Brito-Semedo

    Caro Zé Hopffer, Excelente! Terei isso em consider...

  • Anónimo

    Esqueci-me de me identificar no comentário anterio...

subscrever feeds

Powered by