Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Golfistas e Tenistas dos Anos 30 e 50

Brito-Semedo, 2 Ago 13

 

1. Conheci nas minhas relações profissionais a Tatiana Cabral, bióloga a estagiar no Instituto Nacional para o Desenvolvimento das Pescas (INDP), recém-regressada do Canadá onde vivia com os pais que emigraram para esse país quando era ainda criança. Achando curioso esse regresso às origens, fiquei mais admirado ainda quando soube que a Tatiana era neta do Sr. Anacleto Cabral, o Nhô Niclet da Padaria Central!

 

O resultado dessa aproximação foi ter recebido ontem duas fotos do Sr. Anacleto Cabral. Uma, imediatamente colocada no post Pon d’ Trança d’ Niclet, e outra, de um grupo de jogadores de ténis no Clube Castilho, encaminhada ao amigo Valdemar Pereira, uma memória viva de SonCent a residir em França, como se atesta pelas informações prestadas, para ajudar na sua identificação.

 

2. Na volta do correio, não só veio a identificação da data da foto (finais dos anos 50), a circunstância em que foi tirada (uma partida de ténis entre o Castilho e uma equipa de Bissau) bem como a legenda e algumas notas de curiosidade. Como fashôn (bónus), a Esquina do Tempo recebeu ainda uma outra preciosidade, uma foto de 1932, dos golfistas do Castilho e a identificação completa.

 

Bem hajam Tatiana Cabral, neta de Nhô Niclet, e Valdemar Pereira, filho de Nhô Hermínio do Telégrafo e obrigado pela partilha.

  

Golfistas.jpeg

Ano de 1932 -  De pé (esq. para dir.): João da Mata Costa (Damatinha) XX, Alberto Coutinho, Hermínio Pereira, José Figueira, Cequeira, Manuel Vicente Rodrigues, Antonio Rodrigues (Toi Lulu) João Tolentino, José Diaas XX Carlos Fernandes, Picarone. Agachados (esq. para dir.): António Faustino, Serge de Nho Mané Beta, José Pereira, Antonim Santiago, Antonim Costa e XX
  

Ténis.jpeg

Anos 50 (finais). De pé (esq. para dir.): Anacleto, Blá, Armando Silva (de Nha MariPenha), Jorge Sinais, XX, Armando de Laura, XX e Nuna Oliveira. Agachados (esq. para dir.): Didi de Farmácia, Marcolino "Naraus", Ernesto Medina e Waldmar Oliveira.

___________ 

 

a) - Armando (da Rua de Côco) e Jorge Sinais (da Praia) foram jogadores da Académica do Mindelo e foram depois para a Guiné;
b) - Armando de Laura tinha um irmão negociante de bordo que se chamava Jom de Laura e era meio-irmão do Dr. Adriano Duarte Silva por um lado e, por outro, Raúl, Leça, Néné e Djindja Ribeiro, estes últimos (Industriais dos Tabacos, Sabões, Imprensa e Água de Vascónia) eram os célebres que constituíam (com outros) as Forças Vivas que mexiam até com o Governo;
c) - Nuna era irmão de Tchitcha que foi grande tenista do Castilho e formava uma temível dupla com Néné de Nh'Onton;

d) - Marcolino "Naraus" era irmão do Deiza. Emigrou para a Holanda e veio a morrer à bordo dum barco holandês;

e) - Waldmar era filho do Nuna e cunhado de Amilcar Cabral.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

9 comentários

De Valdemar Pereira a 02.08.2013 às 16:27


Obrigado Manuel mas... fico pesaroso com o que sucede (por minha culpa) e que vou tentar remediar aqui. Nos golfistas de pé, foi omitido o nome do quarto (entre Alberto Coutinho e José Figueira), personagem que era um golfista que e chegou a representar Cabo Verde no Estoril de parceria com o Dr. Antero (e outros) e que foi durante muitos anos o ùnico arranjador dos paus de golfe e das raquetes. (*)
Muitos meninos tiveram o seu primeiro "stick" arranjado por essa pessoa que ganhava muitos "ovataime" mas nunca com os que não podiam pagar. Disse-me um dia dia disse-me o meu amigo Luis Silva que o seu primeiro pao de golfe foi arranjado peor: Nhô Hirmine de Telégrafo, a pessoa que também arranjava as raquetes.

(*) Noutros tempos os paus eram de madeira e partiam-se fàcilmente. Se os ingleses deitavam-nos fora, Nhô Hirmine arranja-os nomeadamente para os principantes.

De Valdemar Pereira a 02.08.2013 às 16:29


Minhas desculpas pelas gralhas devido a pressa para colmatar a falta.
Minhas desculpas

De Brito-Semedo a 02.08.2013 às 16:59

Compreendo a razão da omissão (Freud explica!), mas a verdade e a justiça assim o exigem. A correcção já foi feita. Obrigado.

De Valdemar Pereira a 02.08.2013 às 17:05


OBRIGADO pela correcção no devido lugar que permitirà uma melhor situação de cada um destes desportistas que se notabilizaram e que engrandeceram o mais antigo dos clubes sanvicentinos depois do Clube Sportivo Mindelense que nunca teve uma secção de golfe ou de ténis (que eu saiba...)
Boas lembranças a uns e boas surpresas a outros

De Djack a 02.08.2013 às 16:27

Que fotos e que gente de um tempo cosmopolita do Mindelo que já cabá!
Quando o Valdemar vir estas imagens vai ser um banquete de sodade para ele. Esperemos pelo vice-cônsul, esperemos que as stóra não vão ter fim.

Braça com stil,
Djack

De Djack a 02.08.2013 às 16:28

ahahahahahaha, escrevemos ao mesmo tempo, mas eu acertei, eu sabia...

De Luiz Silva a 02.08.2013 às 17:05

Quanto a fotografia do golf duvido que a data de 1932 esteja certa. Nos anos trinta havia varias equipas de criket em São Vicente mas o Club de Golf   nasce mais tarde e se afirma verdadeiramente nos anos quarenta. Conheci a maior parte destes golfistas tendo jogado principalmente com o pai do Valdemar Pereira, que era ambidextro podendo jogar com os paus destinados aos jogadores direitos como esquerdos como acontecia comigo. O Senhor Herminio Pereira teve ainda uma funçao muito especial devido a falta de raquetes e paus golf : ele sabia cordear os raquetes e reparar os paus de golf . Assim quase todos os golfistas e tenistas beneficiaram das suas competências e o seu nome deve ficar ligado à historia do golf e do nténis e também do futebol pois jogou no Club Derby.

Na fotografia dos tenistas, em baixo ao lado do Didi de Farmacia, deve ser o Marcolino, apanhador de bolas e que se tornou o maior tenista de Cabo Verde, tendo vencido o Valdemar filho do Nuna numa final no Ténis  Mindelo. O Marcolino "Naraus" , irmao do DEiza, emigrou para a Holanda e veio a morrer à bordo dum barco holandez.

Luiz Silva - Paris

De Valdemar Pereira a 02.08.2013 às 18:02



O Luiz duvida da data mas opto  pela de 1932, ano do casamento do meu Pai e por ter sido anotada por tràs da foto mas... veremos.
Relativamente à estória dele ser ambidextro nunca falei para não me chamarem de "bazofe" mas lembro-me de uma das sãs brincadeiras daquela vez: - Uma teimosia deu aposta com o Sr. Junzim de Central (canhoto), o meu pai jogou com os paus dele e ganhou o desafio.
Outra coisa de que prefiro falar é relativa ao ténis. Só o meu pai arranjava as raquetes em Cabo Verde e até da Guiné recebia-os para esticar ou arranjar uma linha. Os encordoamentos eram raros porque as linhas vinham da Índia (casa Sialkot Sing)portanto onerosos para pequenas bolsas. Então o encordoador arranjava uma linha.
Poucos se lembram disso e o nome de Hermínio Pereira foi banido do Golfe Clube pelos jovens. Vá lá saber porque.
 
Luiz fala do Marcolino, menino da Chã do Cemitério, rapaz meu conhecido, que de apanhador de bolas veio a ser campeão. Isto sucede também com os "caddie's"
 

De José F LOpes a 02.08.2013 às 18:38

Isto aqui está animado com estórias desportivas de diazá. Da fotografia do anos 50 reconheço muitas pessoas. Excelente post-

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • joão

    Amigo de Mindelo, sabe "o que é ser inventor"? Enc...

  • Sandro

    Amei esse "BAÚ" só tem preciosidade! 

  • Gilson

    Musicas muito bonitas, acho muito legal musicas ap...

Powered by