Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Cinema Sob o Olhar de Salazar

Brito-Semedo, 1 Fev 11

 

 

O título da presente obra deve entender-se como uma metáfora. Não se trata, evidentemente, de saber como Salazar apreciava o cinema que via, mas como foi encarado o cinema no tempo do Estado Novo e pelo Estado Novo, regime que ultrapassou Salazar e o salazarismo. Produzia-se, realizava-se, comentava-se, via-se cinema, em muitos casos sem que houvesse um controlo directo do regime ou um entendimento da mensagem do regime. O cinema dos anos 30 aos anos 70 do século XX era vigiado, censurado e autocensurado, além de aproveitado como forma de propaganda. Mas com o avanço do Estado Novo, verificou-se uma transformação nos filmes produzidos. E o regime, embora não se revisse nesses filmes, também não os enjeitava, crendo que demonstravam uma certa inovação estética e poderiam ser encarados como um emblema da «modernidade» sempre afirmada e adiada no Portugal de Salazar e Caetano.

 

O Cinema Sob o Olhar de Salazar

de Luís Reis Torgal

Edição/reimpressão: 2011

Páginas: 432

Editor: Temas e Debates

_____________

 

Luís Reis Torgal é professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e coordenador científico do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) e membro de sociedades científicas. Publicou: A Universidade e o Estado Novo (1999), Estados Novos, Estado Novo (2009, Prémio Joaquim de Carvalho da Imprensa da Universidade de Coimbra) e António José de Almeida e a República (2004-2005, Prémio de História Contemporânea da Academia Portuguesa da História).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by