Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Literatura na Guiné-Bissau

Brito-Semedo, 7 Set 15

 

G-B.jpg

 Dentre as antigas colónias portuguesas, a Guiné-Bissau é o país onde a literatura mais demorou a se desenvolver. Esse atraso aconteceu devido o fato de ser uma colónia de exploração e não de povoamento, estando submetida ao governo geral da colónia de Cabo Verde por um bom tempo.

 

A Guiné-Bissau apresenta quatro diferentes fases de sua literatura: uma primeira fase anterior a 1945, uma segunda entre 1945 e 1970, uma outra entre 1970 e o fim dos anos 1980 e finalmente a fase iniciada na década de 1990. Para analisá-las é importante saber que a Guiné-Bissau é um país que foi colónia de Portugal desde o século XV e se tornou independente em 1973, sendo a primeira colónia portuguesa a conseguir independência.


Fase anterior a 1945 => Durante esse período Cónego Marcelino Marques de Barros teve destaque, o que ele escrevia era caracterizado por uma abordagem paternalista e próxima do discurso colonial.

 

Fase entre 1945 e 1970 => Nesse período surgem os primeiros poetas guineenses, dentre os mais conhecidos estão Vasco Cabral e António Baticã Ferreira. A literatura desse período é caracterizada pela poesia de combate, que criticava a miséria, o domínio e a péssima qualidade de vida que ele gerava e a luta pela independência.


Fase entre 1970 e fim dos anos 1980 => Alguns dos poetas mais marcantes desse período foram Agnelo Regalla, António Soares Lopes (Tony Tcheca), em suas obras eles apresentavam um caráter mais social. Com a independência em 1973, a literatura da época começou a abordar temas como a construção de uma nação e a luta por um futuro melhor.


A partir da década de 1990 => Alguns dos poetas mais marcantes desse período foram Agnelo Regalla, António Soares Lopes (Tony Tcheca), em suas obras eles apresentavam um caráter mais social.

 

Depois desses quatro períodos da poesia, em 1993 a prosa começou a ser desenvolvida por Domingas Sami.

 

Panos-Guinea-Bissau.jpg

 

A literatura actual da Guiné-Bissau aborda constantemente os mesmos temas, ela retrata as desilusões, os medos e os desejos da população perante a situação política, social e economica presente no país.

 

Fonte: http://guinediario.blogspot.com/

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Ariel

    Muito bom o livro! 

  • Anónimo

    Muito obrigada por nos presentear com estas inform...

  • Léo

    Olá, realmente esse ritmo é contagiante, fico me i...

Powered by