Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

"Cozinha da Avó", de Cesaltina Duarte

Brito-Semedo, 18 Dez 15

 

Cozinha da Avó.jpg

Saúdo a cozinha generosa da Dona Cesaltina, aqui evocada pelos amigos Kábá Barbosa e Didia [Conceição Brandão] e pelas netas Dúnia e Maura [se bem que “más kumederas ki fazederas”], cozinha essa feita para quem sabe estar à mesa, saboreando em silêncio ou em amena cavaqueira com os amigos, dando às pupilas gustativas a sua verdadeira função.

 

Congratulo a Dona Cesaltina por, em boa hora, ter compilado e, sobretudo, pela coragem em partilhar connosco em forma de livro as suas receitas – “receitas simples, de fácil execução, com produtos da nossa terra, embora muitas já em desuso” – e segredos, muitos segredos de cozinha.

 

Já lá vão dez anos e a 4.ª edição deste Cozinha da Avó – um best seller de 4.000 exemplares (!) – é prova provada da importância deste livro no panorama nacional minguado de livros de cozinha, diga-se, em abono da verdade, que não é reflexo de cozinha pobre ou sem história, mas de hábitos de publicação e de leitura.

 

Em 2009, quando fiz aqui na Praia a apresentação da Cozinha da Avó, livro 2, afirmava eu que era o quinto e o último Manuel da vida da Dona Cesaltina, melhor dizendo, da “cozinha da avó”, depois de “os quatro Manéis” [Manuel Vieira, Manuel Ribeiro, Manelinho Pina, Manuel Delgado], por direito próprio pelo facto de serem grandes apreciadores de comida de Assomada; do Manuel Veiga, prefaciador da obra. Eu conquistei esse lugar por ser amigo do meu tempo em Santa Catarina, conhecido como homem de conversa solta, escolhido para ser apresentador, agora repetente por não ter sabido dizer não ao pedido-quase-ordem da Célia. O que não faço por si, Dona Cesaltina! Mas desta vez cobro.

 

Cozinha da Avó, enquanto objecto, é um livro muito bonito, instrutivo e estimulante. Enche os olhos com as belíssimas imagens e desenhos, faz crescer a água na boca com a descrição das receitas da Dona Cesaltina e estimula o apetite de qualquer cristão.

 

Este livro é para pessoas que gostam de cozinha, de comer bem e de experimentar receitas que as suas avós e mães faziam, por isso, o recomendo.

 

Escolhi três receitas do Cozinha da Avó para compor o menu para o meu almoço: uma entrada, um prato de peixe, um prato de carne e uma sobremesa.

 

Entrada – Sopa de vagem (pg. 15)

 

“Prepare e corte a vagem em pedacinhos muito fininhos, como se fosse para caldo verde. Descasque as batatas e ponha-as a ferver numa panela com água suficiente para sopa. Quando as batatas estiverem cozidas, passe-as por um passador e deite-as de novo na panela. Junte a cebola e o alho em rodelas muito finas e uma colher de azeite. Quando ferver, deite as vagens cortadas e lavadas, e deixe ao lume até as vagens estarem cozidas, o que demora pouco tempo. Deite a outra colher de azeite e sal. Deixe a panela destapada para as vagens ficarem bem verdes”.

 

Prato de Peixe – Caldeirada de moreia (pg. 40)

 

“Lave bem a moreia e corte em postas. Tempere. Numa caçarola, coloque as batatas em rodelas grossas, o tomate, os pimentos e a cebola em rodelas, sendo a primeira e a última cama de batata. Regue com o azeite e o vinho branco. Querendo, pode juntar um pouco de malagueta. Se for preciso, acrescente um pouco de água. Verifique o sal antes de retirar do lume”.

 

Prato de Carne – Bola de carne (pg. 52-53)

 

“Passe pela máquina a carne e o toucinho. Junte a cebola picada e tostada em gordura, o dente de alho pisado, a pitada de pimenta, e o sal. Misture tudo, faça uma bola, enrole em pão ralado, deite numa caçarola e borrife com um pouco de água quente.

 

Tape bem e leve a cozinhar durante meia hora. Volte a parte de cima para baixo, junte pequenas batatas descascadas e mais um pouco de água. Tape e deixe no fogo até as batatas cozerem. Retifique o sal”.

 

Sobremesa – Pudim de café (pg. 64)

 

“Numa panela bem limpa, coloque o café com o açúcar e o pau de canela. Leve ao lume e deixe ferver até fazer ponto de pasta. Tire do lume e deixe arrefecer.

 

Bata as gemas, junte a calda de café já fria e a maisena já diluída num pouco da calda. Passe por uma peneira, deite numa forma barrada com caramelo e leve a cozer em banho-maria”.

 

Com esta sobremesa dispenso o café, mas não um digestivo. Que venha um cálice de aguardente!

 

– A conta se faz favor, Dona Cesaltina! É oferta da casa?! Obrigado e Feliz Natal!

 

Título: Cozinha da Avó, Livro 1

Autor: Josefina “Cesaltina” Benchimol Duarte

Edição de Autor, Praia, 2015, 4.ª edição

 

Nota: Apresentação da Cozinha da Avó, Livro 2

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by