Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gente Sem Ciénça

Brito-Semedo, 27 Ago 14

 

Helder doca 1.jpeg

"Mindelo, ruas quase desertas", Foto Hélder Doca, Agosto.2013

 

 

 

Mindelo, uma cidade nascida sob o signo da história, hoje já só tem estórias para contar. Anunciam-se com ciência, paliativos e soluções às gentes sem ciénça encalhadas na ilha.

 

SonCent sempre foi conhecida como tendo gente de ciénça, com habilidade, jeito, iniciativa, criatividade, auto-suficiência e, sobretudo, que respinga, que não leva desaforo.

 

Isso vem do tempo quando ainda funcionava a Escola da Praça Nova, a Escola Camões da Pracinha da Igreja e a Escola da Chã de Cemitério. Os alunos tinham brio em aprender e, sobretudo, eram bem ensinados pelos mestres e professore(a)s de então. As mães e os pais guiavam os filhos, os valores eram passados pelos mais velhos, o ensino/aprendizagem e a educação eram praticamente um só e os objectivos de todos: do sistema de ensino (educação), das famílias, de toda a sociedade. A Escola de Artes e Ofícios da Pontinha, as oficinas e as casas de costura serviam para preparar os rapazes e as meninas para a vida. O Liceu e a Escola Técnica formavam quadros administrativos e bons cidadãos.

 

Hoje a ilha pode gabar-se de muitas conquistas, incluindo a universidade para os seus filhos, mas a sua gente já não é o que era. Ela tornou-se despreparada, sem fibra, balofa, sem respeito, sem auto-estima, dependente, em suma, sem ciénça.

 

Na ilha-sede abriu-se, há já algum tempo, com pompa e circunstância, uma Casa da Ciência. Na altura, publicitou-se ou justificou-se uma idêntica para a ilha do norte. Contudo, nem aquela funciona nem esta foi instalada. Diz-se que isso só é possível porque o próprio dono da Casa não tem ciénça.

 

Mindelo, uma cidade nascida sob o signo da história, hoje já só tem estórias para contar. Anunciam-se com ciência, paliativos e soluções às gentes sem ciénça encalhadas na ilha.

 

Helder Doca 2.jpeg

"Sem horizonte". Foto Hélder Doca, Julho.2013

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De Adriano Miranda Lima a 05.09.2014 às 16:02

A "ciência" antiga das gentes do Mindelo tinha real substrato e os seus padrões bastaram para que a ilha se colocasse em posição cimeira no arquipélago. Infelizmente, a democracia, a evolução dos tempos  os impulsos do modernismo parece que tiveram um efeito perverso sobre essa "ciência", esfarelando-a e esterilizando-a, sem que o maior acesso à educação e ao ensino tivesse proporcionado mais valias realmente substitutivas e compensatórias. Pior do que isso, o povo do Mindelo parece ter sido inoculado de uma resignação quase bíblica, só assim se compreendendo que não faça valer os seus antigos pergaminhos. Os ministérios da tutela deviam possuir uma visão integral e pragmática das necessidades e prioridades na área da educação e da formação, para evitar que as nossas ilhas estejam pejadas de jovens com canudos de pseudo cursos universitários mas longe, muito longe, de possuírem a antiga "ciência" das gentes do Mindelo.

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by