Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Sempre Viva.jpg

 

Na Esquina do Tempo anterior procuramos mostrar a importância das revistas pelo papel que desenvolvem na sociedade cabo-verdiana, sobretudo na descoberta de novos valores.

 

Por uma questão metodológica e prática, essa imprensa foi organizada em (i) Almanach e revista A Esperança; (ii) órgãos literários e culturais; (iii) órgãos socioculturais regionais e (iv) órgãos socioculturais femininos, tendo nós abordado apenas os pontos 1 e 2. Publicamos hoje a Parte II do artigo.

 

 

ÓRGÃOS SOCIOCULTURAIS REGIONAIS

 

Magma

Revista de Divulgação, Informação e Recreação

Propriedade: Secretariado Administrativo do Fogo

Local: Fogo, Abril 1988 a Maio 1990. Seis números

Direcção: Arnaldo Silva

Periodicidade: Semestral

 

“À Magma interessará tudo ao que ao Fogo diga respeito, o seu passado no que ele há de dialecticamente vivo, o seu entendimento solidário com as outras ilhas, a sua já mais que secular saída para outras paragens do Mundo, o seu presente que se constrói e os seus projectos futuros”.

 

Foram seus colaboradores Teixeira de Sousa, Ondina Ferreira, António Jorge Delgado, Daniel Pereira, Jorge Tolentino, José Maria Semedo, Maria Santa Vieira, Hugo Rodrigues, Manuel Galvão, Miguel Alves, Atelano Fonseca, J. J., Madalena, Sabino Galvão Baptista, Zuca, Lívio Lopes.

 

Djâ D’ Sal

Revista de estudos, formação e informação

Propriedade: Município do Sal

Local: Praia, Maio de 1989 a Julho de 1990. Quatro números

Direcção: José Pedro Vinícula e Carlos Estêvão

Periodicidade: Trimestral

 

DJÂ D' SAL é trimestral e os seus objectivos principais são: fomentar estudos e pesquisas sobre aspectos histórico-culturais e socio-económicos da ilha e promover a sua divulgação (…) e divulgar as principais manifestações e realizações políticas, económicas, culturais, desportivas, e recreativa da ilha”.

 

Foram colaboradores da revista Adelino Ramos, Carlos Duarte, Desiré Bonnafoux, Fernando Carilho, Francisco José Rodrigues, Gilberto Évora, Hugo Rodrigues, José Cabral, José B. Silva, Luís Romano, Madalena Tavares, Mário Paixão, Mário Lima, Pedro Vieira, Sabino Évora, Sousa Santos e Victor Adolfo Osório.

 

Montanha

Revista de Informação Regional

Propriedade: ADESÃO, Agência de Desenvolvimento de Santo Antão

Local: Mindelo, Junho e Dezembro 1991. Dois números

Direcção: António Jorge Delgado

Periodicidade: Semestral

 

“A revista Montanha respeitará as tradições de Santo Antão, procurará promover a cultura da ilha nas suas várias facetas mas privilegiará, todavia, os aspectos ligados ao desenvolvimento dessa parte de Cabo Verde”.

 

Foram colaboradores António Jorge Delgado, Aníbal Lopes da Silva, Francisco Lopes da Silva, Osvaldo Maurício, A. Tolentino, J. Morais, Onésimo Silveira, Mário de Silva Matos (Pai), Arcádio Monteiro, Nicolau de Topo Vermelho.

 

Ekhos do Paul

Revista trimestral de informação e cultura

Propriedade: Liga de amigos do Paul - AMIPAUL

Local: Praia, Jan./Fev./Março 1992 a Agosto 1994/Junho 1996. Dez números

Direcção: José Manuel Silva Pires Ferreira

Periodicidade: Trimestral

 

EKHOS DO PAUL – Projecto antigo, revivificado no deleite da profecia do poeta que desejou ser “(…) do berço natal o cantor; da pátria e dos filhos traduzir o sentir” – veicula uma linha editorial independente, apenas comprometida com a solidariedade e coexistência humana na alça de ideias de bem comum”.

 

Foram colaboradores, Alberto Josefá Barbosa, António Firmino, António Pedro Delgado, Arnaldo França, Bela Duarte, Daniel Pereira, Francisco Lopes da Silva, Georgina de Mello, João Manuel Nobre de Oliveira, João Morais, Jorge Silva, Jorge Tolentino, José Henrique Vera-Cruz, José Manuel Pires Ferreira, Luísa Queirós, Manuel Figueira, Rosendo Pires Ferreira, Rui Araújo e Viviana de Mello.

 

ÓRGÃOS SOCIOCULTURAIS FEMININOS

 

No âmbito dos órgãos impressos de índole sociocultural feminino, destacam-se as Revistas Mujer, Krioula e Sempre Viva.

 

Revista Mujer

Propriedade: Organização das Mulheres de Cabo Verde

Local: Praia, Março a Dezembro 1982 (Primeira Série) e Janeiro a Outubro 1984 (Segunda Série). Vinte números, dez por série

Direcção: Organização das Mulheres de Cabo Verde

Periodicidade: Mensal     

 

Financiamento das Nações Unidas. Colaboraram na revista Aldegundes Tolentino, Amanda, Clara Seabra, Dulce Almada Duarte, Maria Isabel de Brito Lima, Maria José Mascarenhas, Ivone Ramos, Judite Lima e Vera Duarte, para além de alguns homens com temas sobre a mulher.

 

Krioula

Propriedade: Empresa Artimédia

Local: Praia, Maio a … 2011. Três números

Direcção: Margarida Conde

Periodicidade: Mensal

 

A revista surgiu com o propósito de preencher um espaço existente no universo editorial cabo-verdiano. Contudo, deixou de aparecer nas bancas pouco tempo depois de ter sido dada à estampa.

 

Sempre Viva

Propriedade: EME-Marketing e Eventos

Local: Praia, Janeiro 2015. Treze números (activa)

Direcção: EME-Marketing e Eventos / Maria Ressurreição Graça

Periodicidade: Mensal até o número 7, Julho 2015; trimestral a partir do número 8, Jan./Fev./Março 2016.

 

Revista autónoma com um olhar no feminino. Nasceu com o propósito de preencher um vazio deixado por iniciativas idênticas que não vingaram.

 

"Não importa o extrato social, profissão, ilha, cor política, religião ou local de residência. Pretende-se abordar temas como negócios, liderança, empreendedorismo, equidade de género, diáspora no feminino, saúde, meio ambiente, desporto, turismo sexual, economia solidária, actualidade nacional e estrangeira".

 

Figuram como colaboradores da Sempre Viva Roselma Évora, Gláucia Nogueira, Jaqueline Marques da Silva, Maria das Dores Gomes, Djamila Fernandes, Júlia Silva, Hirondina Martins, Ângela Benoliel Coutinho, Vera Figueiredo. Mas a revista não é só feita de mulheres. Nomes como Henrique “Djick” Oliveira, Amílcar Spencer Lopes, Lourenço Gomes, Óscar Ribeiro, Manuel Boal, Paulino Dias, Álvaro Ludgero Andrade, José Cabral, Brito-Semedo, entre outros.

 

Passado o número treze, o número do azar, augura-se longa vida ao Sempre Viva.

 

Recorda-se, em jeito de conclusão, que a longa lista de publicações aqui referenciadas, apenas três estão activas: Artiletra, propriedade das edições Artiletra, publicada regularmente desde 1991; Novas Letras, propriedade da Academia Cabo-verdiana de Letras, cujo primeiro número saiu em Julho de 2016; e Sempre Viva, propriedade da EME-Marketing e Eventos, revista feminina criada em 2015 e cujo número 13 acaba de ser editado.

 

 - Manuel Brito-Semedo

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by