Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Congresso AIL.jpeg

 

A nova coleção de livros temáticos da Associação Internacional de Lusitanistas – AIL, intitulada Estudos da AIL em..., resultado do XI Congresso da associação no Mindelo - 2014, já está disponível. São 5 volumes, de cerca de 200 páginas cada, organizados segundo os temas: Ciências da Linguagem: Língua, Linguística, Didática; Teoria e Metodologia. Relacionamento nas Lusofonias I e II; Literatura, História e Cultura Portuguesas; Literatura, História e Cultura Brasileiras; e  Literaturas e Culturas Africanas de Língua Portuguesa.

 

Dos Estudos da AIL em... a Esquina do Tempo reproduz a "Nota do Presidente"

 

 

Genius Loci: A AIL em Cabo Verde

 

O que significou para a AIL a organização do congresso no Mindelo em 2014? Não foi só o primeiro congresso em Africa da Associação que marca assim a sua projeção sempre mais global, ampliando o eixo Europa-América historicamente sedimentado, ao comemorar os 30 anos da sua bem enraizada historia.

 

As novidades da virada foram multíplices: uma nova governância, outros papéis diretivos, novos projetos a inaugurar entre os quais uma plataforma – a plataforma9 – com que estreitar no quotidiano as relações com os associados durante anos. Foi sobretudo a ocasião de um contacto intenso com Cabo  Verde, São Vicente com o Mindelo cultural, musical e literário e Santo Antão, a ilha dos Flagelados do vento leste de Manuel Lopes, magnífica em seu perfil natural, áspero e encantador. Quem participou do evento da AIL vai conservar longamente a memoria daquela paisagem ventosa e seca que expõe os marcos visíveis de uma luta inexaurível entre história e natureza.

 

A paisagem, no entanto, foi só um dos ingredientes melhores que tornaram única a experiência de Cabo Verde. Um outro foi certamente o contexto do Liceu Velho no Mindelo. Património vivo agora da Universidade de Cabo Verde, por lá passaram alunos como Amílcar Cabral, Aristides Pereira, Teixeira de Sousa, Aristides Lima, e professores como Adriano Duarte Silva, Alberto Leite, Baltasar Lopes da Silva, José Alves Reis. A “Claridade” estava la, com todas as suas projeções ainda tao viva, vozes que ressonam e versos que encontram um referencial inesperado.

 

Deste ponto de vista a Universidade de Cabo Verde foi uma parceira e uma anfitriã imensurável que não poupou esforços, ciente que se tratava de uma ocasião para valorizar Mindelo como futuro centro de congressos científicos internacionais da complexidade do XI Congresso da AIL. A sensação forte que se sentia naqueles dias e que todo o arquipélago estava presente ao acompanhar os trabalhos da AIL. Por isso foi importante como a direção presidida por Elias Torres Feijó fez brilhantemente, organizar um congresso sólido do ponto de vista científico, sempre com as garantias de qualidade que se tem instaurado como boa prática permanente na atividade científica da AIL e que pudesse de certo modo também criar um marco. E assim foi.

 

A AIL, em suma, conseguiu e muito bem, inclusive através da sua programação de conferências, comunicações e momentos institucionais, interpretar o genius loci, o espírito do lugar, as suas atmosferas mitológicas e os seus rastos simbólicos que se misturam a dura história do arquipélago e de seus muitos passados coloniais, um espirito palpável e bem reconhecível na ilha.

 

É por isso que os estudos que se reúnem neste volume, reelaborados pelos autores depois dos debates públicos que ocorrem com as apresentações, são muito mais do que uma simples coleção de relevantes trabalhos que renovam muitos aspetos das disciplinas plurais que constituem o riquíssimo perfil da AIL hoje. E muito mais a concretização de uma memória comum que construímos num contexto tao especial, uma património que a AIL conservara dentro da própria já larga historia. África e um dos muitos horizonte a que a AIL presta particular atenção: o nosso objetivo e fortalecer e disseminar sempre mais a vida da associação neste continente de imaginários e culturas singulares. Este é mais um começo. Não por acaso, entra no Conselho assessor da Associação o primeiro representante do continente, Manuel Brito-Semedo da Universidade de Cabo Verde.

 

São muitos os agradecimento que restam de um contacto como este. Seria impossível lembrá-los todos e portanto escolhemos um nome coletivo que de certo modo todos os representa. Trata-se da Reitora da UNCV, Judite Nascimento: ela desempenhou um papel essencial para amparar institucionalmente o Congresso. E sempre acreditou na parceria com AIL como forte instrumento de internacionalizacao da sua Universidade. A AIL em Cabo Verde inaugurou uma relação que estes volumes confirmam e fortalecem.

 

Roberto Vecchi

Presidente AIL (2014-2017)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Reyan

    Só música de qualidade! Instrumentos de corda real...

  • Anónimo

    Oi sou cabo-verdiano, estou aqui de passagem, esto...

  • Regiane

    Exelentes musicas . Me faz recordar o tempo do meu...

Powered by