Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mindelo na Rota dos Lusitanistas

Brito-Semedo, 22 Jul 14

Fachada exterior do Liceu Velho. Fotos David Monteiro, M_EIA

 

Mindelo, companheiros!

Chegámos, chegámos a Mindelo!

Chegámos ao XI Congresso da Associação Internacional dos Lusitanistas!

 

Bem-vindos a todos!

 

E porque Cabo Verde é um país culturalmente rico e São Vicente uma ilha tradicionalmente de música, de festa e de muita alegria, recebemo-los com o ritmo do colá San Jôn, bater de palmas e muita morabéza (amabilidade).

 

Este acto de Abertura Solene do XI Congresso da AIL consta de

 

– Saudação do Presidente da Comissão Executiva;

 

– Mensagem do Director do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura POortuguesas;

 

– Saudação do Presidente da Comissão Organizadora e Presidente da AIL;

 

– Mensagem de boas-vindas do Presidente da Câmara Municipal de São Vicente;

 

– Discurso da Reitora da Universidade de Cabo Verde; e

 

– Mensagem do Presidente da República.

 

Sessão de trabalho no Auditóiro do Liceu Velho, Foto David Monteiro, M_EIA

 

Fundada em Poitiers, França, em 1984, a Associação Internacional dos Lusitanistas, a AIL, com uma periodicidade de três anos, organizou cinco congressos temáticos em várias cidades da Europa vindo depois a expandir-se à América – Brasil em 1999 e Estados Unidos em 2002. Com a realização deste seu XI Congresso, trinta anos depois da sua fundação, a AIL chega à Africa, às ilhas de Cabo Verde.

 

Em 2011, no Congresso em Algarve, o então Reitor Paulino Fortes, aceitou este desafio ficando a Universidade de Cabo Verde com a responsabilidade de realizar o XI Congresso.

 

Na escolha da ilha de São Vicente e da cidade do Mindelo pesou o facto de, entre outros, ter albergado, de 1917 a 1960, o único liceu de Cabo Verde, pelo qual passaram figuras ilustres, escritores de relevo e homens de cultura como José Lopes da Silva, Baltasar Lopes da Silva, António Aurélio Gonçalves, Henrique Teixeira de Sousa, Arnaldo França, Orlanda Amarílis, João Vário, Arménio Vieira e tantos outros.

 

Acabado de chegar à Uni-CV e de ser nomeado Presidente do Conselho Directivo do Departamento das Ciências Sociais e Humanas, fui colocado no processo sem me aperceber bem do que se tratava. Desconhecia até então o que era a Associação Internacional dos Lusitanistas. Constituída a Comissão Executiva do Congresso, esta pôde contar com o imprescindível apoio do Secretário-Geral da AIL, o Professor Roberto Samartim, e encontrar na Câmara Municipal de São Vicente e no seu Presidente, Doutor Augusto Neves, uma parceira natural com uma abertura e uma disponibilidade totais.

 

A M_EIA, Instituto Universitário de Arte, Tecnologia e Cultura, veio a seguir pelo seu contrato de associação com a Universidade de Cabo Verde e o envolvimento pessoal do seu Reitor, Professor Leão Lopes.

 

Mudada a equipa reitoral a seis meses da realização do Congresso, com as obras no emblemático Liceu Velho ainda por realizar por falta de fundos, o compromisso assumido passou a ser uma questão de honra e uma prioridade. Foi assim que se conseguiu mobilizar o Ministério da Juventude, Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos e a operadora de telecomunicações Unitel T +, juntando-os como patrocinadores, e estabelecer parcerias com o Ministério do Ensino Superior, Ciência e Inovação e o Ministério da Cultura e empresas como a TAP Portugal, a Tecnicil Indústria, os Correios de Cabo Verde, a Televisão e a Rádio de Cabo Verde e a Televisão Record de Cabo Verde.

 

Manifestação Cultural no Liceu Velho. Foto David Monteiro, M_EIA

 

Minhas Senhoras e Meus Senhores,

 

O último JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias, de 10 de Maio, dedicado aos Lusitanistas, ao referir-se aos conferencistas do Congresso de Cabo Verde fá-lo como “300 pesquisadores em Mindelo”, o que me fez lembrar da História e do filme "300: O Início de um Império", exibido recentemente nos nossos cinemas:

 

"Grécia, 480 a.C. Na Batalha de Termópilas, o rei Leónidas e seus 300 guerreiros de Esparta lutam bravamente contra o numeroso exército do rei Xerxes. Após três dias de muita luta, todos os espartanos são mortos. O sacrifício e a dedicação destes homens uniram a Grécia no combate contra o inimigo persa".

 

Em Mindelo, os “300” que aqui se vão reunir não vão travar nenhuma batalha sangrenta para defender a sua Nação. A batalha destes valorosos “300” não terá vencidos nem derrotados: terá vencedores de uma luta permanente pela ascensão, não do império, mas da língua portuguesa sem fronteiras, nossa língua, que é a nossa nação, a nossa identidade, a nossa pátria e a nossa essência!

 

Não gostaria de terminar sem antes fazer uma referência ao lusitanista escritor baiano João Ubaldo Ribeiro, membro da Academia Brasileira de Letras, Prémio Camões 2008, falecido na passada sexta-feira, e prestar-lhe a minha homenagem. Curvo-me perante a memória deste que foi um génio das letras em língua portuguesa.

 

Desejo a todos uma boa estadia entre nós e um ótimo trabalho de Congresso. Convido-os a desfrutar da vivência e da morabeza da gente de SonCent lembrando-os que quem que ca conchê Mindel ca conchê Cabo Verde [quem não conhece Mindelo não conhece Cabo Verde]!

 

 

 

- Manuel Brito-Semedo

Mindelo, 21.Julho.2014

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De José Lopes a 22.07.2014 às 10:37

Excelente iniciativa. Sucessos

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • joão

    Amigo de Mindelo, sabe "o que é ser inventor"? Enc...

  • Sandro

    Amei esse "BAÚ" só tem preciosidade! 

  • Gilson

    Musicas muito bonitas, acho muito legal musicas ap...

Powered by