Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Morreu Aguinaldo Fonseca

Brito-Semedo, 25 Jan 14

 

 

aguinaldo fonseca.jpg

 

 

Aguinaldo Fonseca

 

Mindelo, 22.Setembro.1922 - 24.Janeiro.2014

 

 

Aguinaldo Fonseca instalou-se em Lisboa em 1945, tendo visto os seus poemas publicados em vários jornais portugueses de então.

 

Ficou conhecido como "o poeta esquecido", mesmo depois de ter publicado a colecção Linha do Horizonte, em 1951, e de, sete anos mais tarde, ter reunido uma selecção dos poemas no Suplemento Cultural ao Cabo Verde - Boletim de Propaganda e Informação.

 

A sua poesia, que é bastante difundida na internet e em obras colectivas editadas diversos países, retrata o ardor cívico e expõe firmemente as injustiças sociais.

 

Canção dos Rapazes da Ilha

 

Eu sei que fico.

Mas o meu sonho irá

Levado pelo vento, pelas nuvens, pelas asas.

 

Eu sei que fico

Mas o meu sonho irá ...

Eu sei que fico

Mas o meu sonho irá

Nos frutos, nos colares

E nas fotografias da terra,

Comprados por turistas estrangeiros

Felizes e sorridentes.

Eu sei que fico mas o meu sonho irá ...

 

Eu sei que fico

Mas o meu sonho irá

Metido na garrafa bem rolhada

Que um dia hei de atirar ao mar.

 

Eu sei que fico

Mas o meu sonho irá ...

 

Eu sei que fico

Mas o meu sonho irá

Nos veleiros que desenho na parede.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De Sónia Jardim a 25.01.2014 às 23:16

Que Aguinaldo Fonseca descanse em Paz. Os meus sentimentos à sua família. Os seus poemas eram lindos, sentidos e vividos. Tenho um exemplar de "Linha do Horizonte", de 1951, por ele autografado em Maio de 1952. Adoro o poema "Identidade", o qual faz o meu coração bater mais depressa e um nó na garganta invade-me a alma.

Comentar post

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by