Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Bonucci 1.jpg

 

Recuando no tempo, rebobinado o filme da história, fixando as datas mais marcantes, tudo começa com a descoberta de S. Vicente no dia 22 de Janeiro de 1462. Durante quase quatro séculos, a ilha manteve-se desabitada e durante muitos anos relegada ao esquecimento.


As várias tentativas de fixar gente na ilha, sempre se mostraram bastante difíceis, principalmente devido à endémica falta de água. O que é hoje o Mindelo, não passava de um simples lugarejo onde os pescadores das ilhas vizinhas encontravam abrigo nas suas lides da pesca.

 

Segundo relatos da época, só em 1795 foi concedida a autorização para iniciar o seu povoamento, tendo então chegado os primeiros colonos a S. Vicente: vinte casais e cinquenta escravos, trazidos do Fogo. Uma dúzia de barracas e cabanas foram então erguidas no local onde hoje se localiza a Pracinha da Igreja, constituindo a Aldeia de Nossa Senhora da Luz.

 

Em 1819, não tendo São Vicente mais de 120 habitantes, o governador António Pusich, apercebendo-se das potencialidades do Porto Grande, traz mais 56 famílias de Santo Antão. Sonhando com a criação de uma cidade, rebaptiza a povoação com o pomposo nome de vila Leopoldina.


Em 1838, a companhia inglesa East India estabelecia em São Vicente o primeiro depósito de carvão, ao mesmo tempo que, na metrópole o Marquês de Sá da Bandeira decretava que a povoação na baía do Porto Grande adoptasse o nome de Mindelo.

 

Em 1879, época em que a povoação já tinha 27 ruas, 1 praça – a célebre Praça D. Luís, iluminada por um bonito candelabro – 5 largos, 11 travessas, 1 beco e 2 pátios, quase todos calcetados, arborizados e iluminados por um total de 120 candeeiros de petróleo, e uma população de 3300 habitantes, Mindelo foi formalmente elevada à dignidade de cidade. Assim cerca de quarenta anos após a sua fundação, Mindelo torna-se cidade por mérito próprio, e o seu porto, o Porto Grande, o motor do seu desenvolvimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caetano Bonucci, Cinematógrafo SV

Brito-Semedo, 15 Mai 16

 

Bonucci.jpeg

 


Natural de S.Vicente, Cabo Verde, Caetano Bonucci era filho de Pedro Bonucci e de Maria da Luz Rocheteau Leça Bonucci, e irmão de Yolanda Bonucci Pias.


Além da profissão de engenheiro electrotécnico, Caetano Bonucci, movido pela sua paixão pelo cinema, nos seus tempos de estudante em Turim, Itália, visitou e frequentou os estúdios da Cinecittà em Roma, onde pôde tomar contacto com o modo como os filmes eram produzidos e realizados na época.

 

Mais tarde, já em Lisboa, dando continuidade a essa paixão pelo cinema e aos conhecimentos adquiridos pela sua experiência em Itália, viria a tornar-se no primeiro realizador natural de Cabo Verde a dirigir um filme de longa metragem em Portugal, "A Morgadinha dos Canaviais", cuja estreia foi a 4 de Março de 1949 no cinema "Èden", tendo participado entre outros, Eunice Mûnoz Paiva Raposo, Tomaz de Macedo, Raul de Carvalho, Costinha, Maria Matos, etc...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

subscrever feeds

Powered by