Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Adriano Duarte Silva.jpg

Durante todo o período colonial houve apenas três reitores do liceu cabo-verdianos: Dr. Adriano Duarte Silva, Reitor do Liceu Infante D. Henrique de 1927 a 1929 e de 1933 a 1936; Dr. Baltasar Lopes da Silva, Reitor do Liceu Gil Eanes de 1949 a 1960 e de 1965 a 1969; e Dr. Antero de Barros, Reitor do Liceu Gil Eanes, de 1960 a 1961, com uma média durável de mandato, perto de 40% do tempo total, com o desenvolvimento dessas funções com notório protagonismo de qualquer um deles.

 

Adriano Duarte Silva, Professor liceal

 

Na abertura solene do ano lectivo 1937-1938, o professor Dr. Adriano Duarte Silva proferiu no Liceu Infante D. Henrique a lição inaugural, com o tema “O corporativismo e sua oportunidade histórica”. O Professor justificou perante o Governador da colónia que, “ao contrário do que malèvolamente e com fins inconfessáveis se tem por vezes propalado, não há aqui dentro do liceu, por parte de qualquer dos seus membros, a mais leve animosidade nem a maior resistência à obra do Estado Novo”.

  

Nessa ocasião o ex-reitor estava longe de imaginar que esse mesmo liceu seria extinto daí a poucos dias e que esse “ambiente de franca simpatia e de sincera e consciente admiração” iria ruir.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Liceu Velho.jpg

 

Graças ao Liceu, São Vicente transformou-se no centro da intelectualidade do arquipélago. Às aulas juntavam-se tertúlias, competições desportivas, bailes, passeios, teatro, para além de uma entusiástica actividade literária traduzida em folhas de imprensa que circulavam dentro e fora da escola.

 

Locus de Instrução

 

Era a única instituição de Ensino Secundário em Cabo Verde. De recordar que nas outras colónias o liceu só seria instituído nos anos 50.

 

Locus de Educação Cívica e de Desporto

 

Educação Cívica e Prática Desportiva

 

Havia aulas de Educação Física fazendo parte dos currículos escolares, para além de actividades desportivas e participação cívica promovidas pelos Sokols de Cabo Verde (1932-1939) e, posteriormente, pela Mocidade Portuguesa (1939-1974).

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Ariel

    Muito bom o livro! 

  • Anónimo

    Muito obrigada por nos presentear com estas inform...

  • Léo

    Olá, realmente esse ritmo é contagiante, fico me i...

subscrever feeds

Powered by