Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sabores de África

Brito-Semedo, 28 Mar 11

 

Uma obra apetitosa e irresistível

 

Um livro que o convida a embarcar numa viagem pelos sabores lusófonos, encontrando uma variedade de deliciosos pratos que resultam da mistura de culturas africanas e da portuguesa.

De país para país, os ingredientes e a forma de confeção variam, mas em todas elas surge o inconfundível toque africano.

 

Sabores de África

de Conceição Santos

Edição/reimpressão: 2009

Editor: Porto Editora

 

Introdução do Livro Sabores de África

 

Gosto de cozinhar, embora não seja cozinheira. Será isto estranho?

 

Amo África, embora me digam que estive lá pouco tempo, pouco tempo para tanto amor, o que é verdade. Isso também parece ser estranho para muita gente… 

 

Viver em África foi uma época que marcou profundamente toda a minha vida. Lá me tornei mulher, fui mãe, ri e chorei, venci e perdi. Ao mesmo tempo, enquanto subia estes degraus, fui aprendendo a amar os seus cheiros, os seus sons, as cores, os paladares, as gentes.

 

Acabei por sair de lá há trinta e quatro anos, mas trouxe comigo essas marcas identificativas da terra amada e que sempre me têm acompanhado. Tal como a família…

 

E se os cheiros não posso transmitir, pelo menos a arte de criar aqueles sabores que me ficaram na memória posso espalhar por onde puder. Aí está a razão da existência deste livro.

 

Dizem-me: «Mas só estiveste em Angola!... Como é que te puseste a escrever sobre os sabores de cinco países de África?»

 

Nem eu própria sei! No fundo, talvez tenha sentido que os sabores de um país se entrelaçam, se conjugam, se multiplicam com os sabores dos outros.

 

Utilizei uma linguagem simples e directa, de modo a que todas e todos pudessem entender as receitas e não chegassem ao fim das mesmas sem compreender o princípio e o meio, sem perceber onde está o sabor a criar. Apliquei a expressão «quanto baste» (q.b.) para referir as quantidades de alguns ingredientes, como o sal, a água, o azeite, assim como «a gosto» – «picante a gosto» –, porque são ingredientes que se devem utilizar na culinária consoante o gosto de cada um.

 

Na verdade, uma receita de culinária não é uma ciência exacta, mas sim uma arte cujo resultado depende ora do gosto do seu autor ora dos ingredientes que se tem à mão.

 

Portanto, não se acanhe em alterar ou substituir um ingrediente. Os povos donde estas receitas são originárias também as modificam de região para região e conforme os ingredientes de que podem dispor, em cada momento ou época. Pensando bem, que importa se em vez de galinha é um frango que vai para a panela? O importante, sim, é que se sinta feliz com o que faz e o paladar desejado esteja lá… (Fonte)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

África no Feminino

Brito-Semedo, 28 Mar 11

 

África no Feminino aborda a vivência e a memória da Guerra Colonial (1961-1974) a partir da perspectiva das mulheres portuguesas que acompanharam os seus maridos nas três frentes de guerra. Nasceu do meu espanto sobre o registo apenas ficcional do rosto destas mulheres, e da generosidade das mulheres que entrevistei quando um dia lhes bati à porta e lhes disse: "Sei que esteve em África. Quer contar?"

 

Através do estudo inicial sobre a presença destas mulheres em África e sobretudo dos testemunhos obtidos, o livro revela outros olhares sobre a guerra, outras razões da guerra, outras vivências do pós-guerra e, naturalmente, outras memórias. Nas suas diferenças e no seu conjunto os testemunhos recolhidos colocam as mulheres como sujeitos históricos desta guerra e veiculam uma ética de reconhecimento e de responsabilidade solidária capaz de contribuir para gerar uma memória cultural colectiva da Guerra Colonial.

 

Título: África no Feminino

As Mulheres Portuguesas e a Guerra Colonial

Autor: Margarida Calafate Ribeiro
Editora: Afrontamento

Ano de Publicação: 2007

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • curso de teclado

    Muito boa a musica, parabéns !

  • Anónimo

    Porque é que omitiu o editor do "Diário" de Antóni...

  • Anónimo

    Dizem que o Dr. Baltazar tinha um filho que residi...

subscrever feeds

Powered by