Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Foto do Arquivo de Valdemar Pereira, Mindelo, 1948

 

Valdemar Pereira, Tours, França

 

Foi em 1948. Não me perguntem o dia porque sou incapaz de dizer. Tenho vergonha mas não me lembro das datas de aniversário dos meus netos. Sou avesso a isso. Mas lembro-me perfeitamente do dia em que a Académica ia festejar o seu primeiro titulo de Campeão com essa plêiade de jogadores, cada um melhor que o outro.

 

Começo por dar a linha (de pé): Cirilo Gomes; Mário Silva e Alfredo Ferreira; César Alves, Epifânio e Reinaldo Évora; (agachados) Quida, Pitcha, Américo, Tétse e Adriano Leite (estão bem posicionados na foto,  à moda antiga).

 

Como sempre as duas claques, lado a lado, mandavam colibés e nominhos menos bonitos. Do lado do Mindelense, Nhô Damatinha que nunca sentava porque precisava de espaço para movimento e para gritar suas mensagens. Eu tremia. Estava do outro lado. (Já disse que não gramava o Mindelense porque batia em tudo quanto aparecesse).

 

O jogo estava renhido e, às tantas, a Académica ganhava por uma bola e o Mindelense estava tetanizado. Não encontrava modo de passar a defesa adversária e... fizeram sururu momentos antes da partida terminar. Aí, o arbitro – Quinquim Ribeiro – adepto assumido da Micá, interrompeu o jogo "por não haver condições de segurança".

 

João da Mata Costa, "Damatinha"

Os adeptos dos estudantes exultavam e os dos encarnados barafustavam. Não vos conto o estado de espírito do Sr. Damatinha que continuou a reclamar até à Pracinha da Igreja (perto da sua casa) de onde mandava adjectivos superlativos aos sujeitos endiabrados que se encontravam à janela na sede da Académica (Rua Sá da Bandeira).

 

Houve muitas interpretações e,  entre elas, a que "estava tudo combinado" porque a fotografia já estava emoldurada e foi uma trupida quando o Presidente João Barbosa a colocou em lugar de destaque.

 

Mas... A festa não ia durar. Sucedeu que, no jogo seguinte entre as duas equipas, contra os hábitos de ir ao campo com fatos de treino, a Académica apareceu de gabardina como que a querer dizer "is in the pocket". Pois bem, meus amigos, com as mesmas equipas a jogar, a Académica levou 8 a 1  (Pitcha foi expulso).

 

Procurei ser o mais fiel relatando o que sucedeu em 1948 e peço desculpas de antemão para eventuais cleonices. Se nessa altura torcia pela Micá, sempre fui (e sou) do Castilho.

___________

 

TÍTULOS DE FUTEBOL

Títulos Nacional: 1

Liga de Cabo Verde

1989

Títulos da Ilha de S. Vicente:

Liga da Ilha desde independência4

1986/87 1997/98, 2003/04, 2006/07

Torneio de Abertura: 2

2001/02, 2006/07

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

'Ratatouille'

 

Quem ainda não conhecia a receita de ratatouille antes da animação da Disney-Pixar, experimentou depois de assistir ao filme. O prato é um delicioso refogado de legumes que lembrava a infância do mal-humorado dono de um restaurante em Paris. Confira

Ingredientes:

1 pimentão vermelho médio
1 pimentão verde médio
1 abobrinha italiana média
1 cenoura média
2 tomates médios
1 berinjela pequena
1 cebola média
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva
1/2 xícara (chá) de ervas frescas picadas (manjericão e coentro)
100 g de azeitonas verdes
100 g de azeitonas pretas médias
sal e pimenta-do-reino moída grosseiramente a gosto

Maneira de preparar:

Lave os pimentões, parta-os ao meio, elimine as sementes e os filamentos internos brancos e pique-os em cubos regulares. Corte a abobrinha em cubos médios (semelhante ao tamanho dos pimentões). Raspe a casca da cenoura e corte-a em cubos. Lave os tomates e pique-os em pedaços médios. Pique a berinjela e a cebola em pedaços regulares. Coloque a abobrinha, o pimentão, a cenoura e a berinjela numa panela com 2 litros de água fervente e sal. Deixe no fogo por 4 minutos, ou até ferver novamente. Retire do fogo, escorra a água e passe os legumes por água fria. Reserve. Em outra panela, aqueça o azeite de oliva, junte os vegetais e refogue, salteando de vez em quando, por 5 minutos, ou até ficarem ''al dente''. Adicione as ervas, as azeitonas, o sal e a pimenta-do-reino. Misture com cuidado e retire do fogo. Sirva com massas, feijão-branco ou torradas.

 

Bom Apetite!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Edson Tavars

    Olá boa tarde. Sou um dos amantes das historias e ...

  • Pecas lopes

    Um belo artigo. Assim como muitos, também sou natu...

  • Ondina Ferreira

    Uma memória bem narrada. Um marco importante na vi...

subscrever feeds

Powered by