Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

 

Deportados no Lazareto.jpg

Deportados no Lazareto, 1931

 

 

Há exatos 85 anos, a 4 e Abril de 1931, num sábado de aleluia, eclodia em Funchal a célebre Revolta da Madeira, liderada pelos nossos conhecidos tenentes Dr. Camões e Pélico, apoiados pelos alferes Hasse Ferreira e Mouzinho Sacadura, alguns dos quais por cá ficaram, morreram, e deixaram descendência e um importante legado.

 

A revolta, que esteve para ser seguida no continente e nas ilhas lusófonas, apenas chegou aos Açores e Guiné, na sequência da qual, presos, os seus protagonistas seriam deportados para vários destinos, entre os quais a ilha de São Nicolau em Cabo Verde, onde desembarcaram cerca de duzentos cidadãos portugueses.

 

Uma efeméride de relevante importância que põe a ilha de São Nicolau e Cabo Verde na rota da deportação e nos torna testemunhas das sevícias perpetradas pelo regime totalitário que Salazar instalou em Portugal.

 

Com efeito, na ilha de São Nicolau, o regime fascista ensaiaria em primeira mão, o novo modelo prisional, entretanto adotado, que substituiu o “degredo numa ilha”, para “Prisão na ilha”, ou seja, em “Regime fechado”, dentro da ilha.

 

Primeiro, no seminário da Ribeira Brava, de onde os alunos tiveram de abandonar apressadamente as aulas, depois, num Campo de Concentração em Tarrafal de São Nicolau, edificado de raiz com material pré-fabricado alemão. A experiência de São Nicolau estender-se-ia a Timor, Moçambique, Angola e Guiné.

 

 

Comando.JPG

 Comando

 

 

Adalberto Gastão de Sousa Dias.tif

Francisco Filipe de Sousa.tif

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

General Adalberto Gastão de Sousa Dias               Major Francisco Filipe de Sousa

 

  

Histórias de interesse universal, que como outras, a ilha de São Nicolau encerra, Indústria Baleeira, Seminário-liceu, Sede da Diocese de Cabo Verde, Indústria Conserveira do Atum, etc.

 

Marcos culturais e históricos, para cuja descoberta a ilha vai sendo aos poucos procurada, seja por investigadores, como por docentes, turistas, ou meros curiosos.

 

Ainda recentemente:

 

• O presidente da mais prestigiada instituição mundial, dedicada à história da baleação – o museu da Baleia de New Bedford – visitou a ilha com uma delegação, para descoberta da origem dos Cabo-verdianos que fizeram de New Bedford a “Cidade que iluminou o Mundo”;

 

• Académicos e especialistas internacionais da área de Educação artística, foram também acolhidos no Museu da Pesca, para estudos de campo, inseridos na programação doIV encontro Internacional de Educação Artística que decorreu em São Vicente.

 

• Mais uma vez, a ilha mereceu o interesse de um grupo de vinte professores, desta feita da Escola do Ensino Básico Nova Assembleia, da Praia, que vêm à descoberta da história e cultura da Ilha de São Nicolau.

 

Marcos históricos e culturais, cuja relevância e importância reconhecida internacionalmente, atrai visitantes de fora, circunstância que obriga a questionar, em jeito de desafio:

 

Será que localmente, o cidadão comum, as comunidades, passando por estudantes, professores, poderes públicos, conhecem devidamente, valorizam e se empenham na preservação desse importante legado?

 

– José J. CABRAL
Representante IPC/São Nicolau

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1 comentário

De Lina Sousa a 08.04.2016 às 09:22

Olá! Como filhos e netos do então Major Francisco Filipe de Sousa gostaríamos de receber e também dar informações sobre ele e lá onde for possível contribuir para as pesquisas e estudos que realizam. Aguardamos o vosso contacto. Cumprimentos. Lina Sousa 

Comentar:

De
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.
Comentário
Máximo de 4300 caracteres

O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • curso de teclado

    Muito boa a musica, parabéns !

  • Anónimo

    Porque é que omitiu o editor do "Diário" de Antóni...

  • Anónimo

    Dizem que o Dr. Baltazar tinha um filho que residi...

subscrever feeds

Powered by