Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Layout Porto Memória.jpg

 

cidademindelo finais seculo XIX CABO VERDE.jpg

 

 

Escrevo-o para esta juventude estudiosa que precisa conhecer os assuntos de sua terra, que mais lhe interessa saber.

 

 

“À memória dos Caboverdianos marítimos, aqueles que,

ao Serviço das Nações Unidas, ao serviço da liberdade,

corajosamente, perderam a vida durante a

2.ª Grande Guerra Mundial.

 

Como testemunho de profunda saudade.”

 

– Frank Xavier da Cruz (B. Léza), 1950

 

O escritor Manuel Lopes explica que Mindelo “veio ao mundo sobre as quilhas da navegação internacional, nasceu, por assim dizer, cosmopolita, porque nasceu parasita do porto, e até hoje [1959] sempre dependeu dele”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Ilhéu de Contenda"

Brito-Semedo, 24 Dez 18

 

Layout Porto Memória.jpg

 

Ilhéu de Contenda.jpeg

“Entre gente de sobrado, de loja e de funco nasci e vivi. Nunca cheguei a perceber bem qual o lugar me coube nessa sociedade. Por isso, este livro é de todos e para todos”

 

– Teixeira de Sousa, Ilhéu de Contenda, 1978

 

 

Concluído em 24.Abril.1974, Ilhéu de Contenda, o primeiro romance de Teixeira de Sousa (Fogo, 1919 – Oeiras, 2006), foi dado à estampa em 1978 pela editorial O Século, fazem agora 40 anos, uma efeméride que bem poderia ser assinalada entre nós com uma nova edição da obra. O livro, que teve uma segunda edição/reimpressão em 1983, encontra-se esgotado há muito.

 

“Ilhéu de Contenda” é um signo (sobrado) que remete para a micro sociedade foguense cuja história é recriada de forma ficcionada (livro) e que depois passa para o cinema (filme).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • João Mendes

    Rebusquei depois nas minhas memórias e verifiquei ...

  • João Mendes

    Deixem-me aqui recordar Celso Leão pessoa intelige...

  • João Mendes

    Conheçi o café Lisboa em 1961.. Lá cantei fado mui...

subscrever feeds

Powered by