Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Nhô Roque.jpg

Cónde el parti

Céu di Mindelo toldá di um n´ba scuro

Sê partida

Foi pa nôs um golpe bem duro

Grande c’piqnim

Tude maguóde co sês tristeza e dor

Tchorá sodade de Nhô Roque

Sodade de nôs professor

Nôs home di povo

 

Distino levál

Pa sê mundo

Êl dixá povo

Num dor profundo

Final d’um trecho

Di nôss história

Scrito co pena

E letra di oro

Cabo Verde tchorá

Sodade de Nhô Roque

 

– Manel de Novas, “Sodade de Nhô Roque”, 1984

 

2021 vai ser o ano do 120.º aniversário do nascimento do escritor claridoso António Aurélio Gonçalves (São Vicente, 25.Setembro.1901 – 30.Setembro.1984) cuja efeméride espera-se seja celebrada dignamente pela Universidade Pública, Universidade do Mindelo, Biblioteca Nacional e Câmara Municipal de São Vicente.

 

O Expresso das Ilhas, que vem assinalando com regularidade a data do nascimento desse escritor, com destaque para a celebração do seu 115.º aniversário, em 2016, vai sinalizar a efeméride.

 

António Aurélio Gonçalves

 

A obra Noite de Vento, organizada por Arnaldo França, constituída por 4 noveletas publicadas autonomamente – Pródiga, 1956; O Enterro de Nhâ Candinha Sena, 1957; Noite de Vento, 1970; e Virgens Loucas, 1971 – e outras 5 saídas em revistas (Claridade, Boletim Cabo Verde e Raízes) –  Consulta, 1952; História do Tempo Antigo, 1960; Biluca, 1977; Burguezinha, 1977; e Miragem, 1978 – foi editada em 1985, ou seja, há 35 anos. Escusado será dizer que o livro encontra-se esgotado há muito.

 

120.º aniversário de Aurélio Gonçalves

 

As obras de António Aurélio Gonçalves são sugestão de leitura no 10° ano de escolaridade e o livro Noite de Vento é leitura obrigatória no 11° ano. A efeméride é um excelente pretexto para se fazer a reedição desta obra.

 

Uma iniciativa louvável seria, igualmente, a Câmara Municipal de São Vicente colocar uma estátua desse escritor na praça com o seu nome, Parque Nhô Roque, situado junto à Avenida Marginal e à Baía do Porto Grande. Esse parque é um projecto da sociedade civil que nos fins dos anos 80 envolveu empresas e personalidades de São Vicente e que aguarda desde essa altura uma estátua de Nhô Roque.

 

Manuel Brito-Semedo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Tete Alhinho

    Obrigada por esre lindo texto Manuel.Ainda não li ...

  • Edson Tavars

    Olá boa tarde. Sou um dos amantes das historias e ...

  • Pecas lopes

    Um belo artigo. Assim como muitos, também sou natu...

Powered by