Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Duas décadas de escrita ficcional

Brito-Semedo, 28 Fev 20

 

Layout Porto Memória.jpg

 

GA.jpg

Lançado o mais recente romance de Germano de Almeida, O Último Mugido, título que dá continuidade a O Fiel Defunto (2018).

 

Pretexto para um breve balanço sobre a escrita ficcional cabo-verdiana deste Séc. XXI.

 

“Importa-me que Cabo Verde tenha uma alma, sim, e que nela caibam o som vigoroso e louco do vento no deserto ou o livre e mágico sopro da brisa batendo no coração do mar ou ainda a alegria sincopada de olhares se conhecendo.

 

Apraz-me que nessa alma caibam o choro, a compaixão, o prazer, a justiça. Que nela caibam todas as gentes, todas as cores, todos os sons livres, as nossas falas em risos, danças ou dores, e as falas do mundo e os seus silêncios. E o sopro da chuva.

 

Mas sabe, na verdade o que me interessa mesmo é que Cabo Verde seja a nossa alma”.

 

Dina Salústio, Filhos de Deus, 2018

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Layout Porto Memória.jpg

 

Loff Vasconcellos.jpg

 

Luiz Loff de Vasconcellos (Maio, 5.Janeiro.1861 – São Vicente, 19.Março.1926), Patrono do Dia Nacional do Jornalismo, foi homenageado pelo Governo em São Vicente, oportunidade para aqui ser evocado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

Powered by